Metro de Lisboa

Metro de Lisboa: Trabalhadores anunciam greve para 1 e 3 de agosto

Fotografia: Filipe Amorim/ Global Imagens
Fotografia: Filipe Amorim/ Global Imagens

Funcionários queixam-se do "clima de confronto" na empresa e da "alteração unilateral das regras de prestação de trabalho e horários"

As greves podem estar de volta ao Metro de Lisboa. Os trabalhadores da empresa anunciaram dois dias de greve de 24 horas para 1 e 3 de agosto, terça e quinta-feira, respetivamente. Os funcionários queixam-se do “clima de confronto” na empresa e da “alteração unilateral das regras de prestação de trabalho e horários”. A decisão final será tomada daqui a uma semana, a 25 de julho.

“O governo do PS e a administração do ML em vez de se empenharem em resolver os graves problemas herdados do governo anterior (PSD+CDS), têm optado nesta empresa por um clima de confronto, através de alteração unilateral das regras de prestação de trabalho e horários, quando o que se precisa é que sejam admitidos os trabalhadores que são necessários, se dote a empresa do material circulante adequado, se melhorem as condições nas estações e que se respeitem os trabalhadores que são aqueles que, diariamente, fazem tudo para, nas condições atuais, se consiga ter um serviço público com os padrões mínimos de qualidade”, refere em comunicado a Fectrans, Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações.

Além deste sindicato, associam-se a este anúncio de greve a Federação dos Trabalhadores da Tracção do Metropolitano; da Manutenção, dos Trabalhadores dos Transportes e dos Trabalhadores do Metropolitano, segundo o jornal Público.

O anúncio da greve no Metro de Lisboa surge na véspera do encerramento da estação de Arroios, que será alvo de obras de reabilitação durante ano e meio. A partir de quarta-feira, 19 de julho, a linha Verde vai circular com comboios de seis carruagens. O ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, garantiu que o metropolitano terá todos os comboios a funcionar até 19 de julho.

“Até 19 de julho teremos condições para ter todas as composições em circulação”, referiu João Matos Fernandes durante a apresentação do plano de desenvolvimento de rede da empresa, a 8 de maio.

Este plano prevê a construção de duas novas estações de metro até 2021 e de uma ligação pedonal, com 300 metros de extensão, entre a estação do Rato e a Praça Santa Isabel, com acesso para as Amoreiras.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro adjunto Pedro Siza Vieira. 
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Proposta que cria sociedades de investimento em imóveis avança até final do ano

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Despesa com juros da dívida ultrapassou 5 mil milhões de euros até julho

Apple devolve à Irlanda14 mil milhões em ajudas consideradas ilícitas

Outros conteúdos GMG
Metro de Lisboa: Trabalhadores anunciam greve para 1 e 3 de agosto