transportes

Metro do Porto com 18 novas composições até 2023

Fotografia: D.R.
Fotografia: D.R.

A construção da nova linha Rosa, no Porto, e o prolongamento da linha Amarela, em Vila Nova de Gaia, devem arrancar em breve.

A Metro do Porto vai assinar o contrato para a aquisição, por 49,6 milhões de euros, de 18 composições à empresa chinesa CRC Tangsthan que permitirão disponibilizar mais 60 mil lugares diários, estima a sociedade de transportes. Segundo a Metro, os novos 18 veículos – com capacidade de 252 lugares, 64 dos quais sentados – serão entregues entre 2021 e 2023, ao ritmo de um por mês.

A cerimónia de assinatura dos contratos para a aquisição de novos metros está agendada para hoje, na Estação de São Bento, no Porto, com a presença do ministro do Ambiente João Pedro Matos Fernandes e do primeiro-ministro António Costa.

Em dezembro, a Metro do Porto revelou que a empresa chinesa tinha vencido o concurso para entregar 18 novas composições, por 49,6 milhões euros, financiados pelo Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente, menos 6,5 milhões do que o valor base do procedimento.

Fundada em 1881, a CRRC Tangshan Co é uma empresa chinesa com larga tradição na produção de comboios, comboios de alta velocidade e veículos de metro. É o maior fabricante mundial de material circulante ferroviário, com sede em Pequim e empregando mais de 180 mil trabalhadores.

O presidente da Metro do Porto, Tiago Braga, revelou já em outubro que, para responder ao aumento verificado de seis milhões de passageiros, esperava “antecipar até ao fim de 2021” a contratação das composições, inicialmente previstas para as novas linhas do metro, que devem estar prontas em 2022/23.

Tiago Braga explicou que o aumento da procura, sendo “forte desde o início de 2019”, se tornou “mais expressivo ainda desde abril, quando arrancou o PART [Programa de Apoio à Redução Tarifária]”, o designado passe único, que fez descer o valor dos bilhetes mensais dos transportes públicos.

O concurso foi lançado com a perspetiva de servir as novas linhas Rosa, no Porto, entre S. Bento e a Casa da Música, e o prolongamento da linha Amarela, entre Santo Ovídio e Vila d’Este, em Vila Nova de Gaia.

As empreitadas para as novas linhas devem arrancar em breve, sendo que as obras de construção vão decorrer até 2023. Estas novas linhas vão acrescentar seis quilómetros e sete estações à rede, representando um investimento global na ordem dos 300 milhões de euros.

Atualmente, a frota da Metro do Porto é constituída por 102 veículos: 72 do tipo Eurotram e 30 do tipo Tram-train. Com o investimento em 18 veículos CRRC, a frota do Metro do Porto passará a contar com 120 unidades.

O Metro do Porto opera em sete concelhos com uma rede de seis linhas, 67 quilómetros e 82 estações, tendo sido utilizada por mais de 71 milhões de clientes em 2019.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
apple one

Apple One junta vários serviços, chega a Portugal mas com limitações. O que tem

A  90ª edição da Micam, a feira de calçado de Milão, está agendada para os dias 20 a 23 de setembro, com medidas de segurança reforçadas. Fotografia DR

Calçado. Micam arranca este domingo e até há uma nova marca presente

Os ministros da Presidência do Conselho de Ministros, Mariana Vieira da Silva (C), Economia, Pedro Sia Vieira (E) e do Trabalho Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho (D). MANUEL DE ALMEIDA/POOL/LUSA

Portugal é o quarto país da UE onde é mais difícil descolar do mínimo

Metro do Porto com 18 novas composições até 2023