recrutamento

Michael Page quer recrutar profissionais com deficiência

Dar visibilidade e integrar no mercado de trabalho os profissionais qualificados com deficiência é o objetivo da consultora.

A consultora Michael Page criou uma equipa especializada dedicada ao recrutamento de profissionais qualificados com incapacidade, com o intuito de aumentar a sua inclusão laboral.

Em Portugal há um milhão de pessoas com deficiência e a discriminação neste sector atinge 65%, de acordo com o último Census de 2011. Segundo dados do IEFP, apenas 10% dos profissionais com deficiência estavam empregados em 2016.

A consultora explica, em comunicado, que com a criação desta equipa pretende “aproximar os recrutadores destes perfis, dar maior visibilidade aos mesmos e integrar estes potenciais colaboradores no mercado de trabalho”.

O Executive Manager da Michael Page, Vasco Salgueir, será o líder do projecto, orientado para o sector privado e que pretende a criação de mais oportunidades profissionais para estes perfis.

“Sem esquecer o âmbito da Responsabilidade Social, a Michael Page quer antecipar uma realidade que considera que será cada vez mais evidente, pois a própria legislação laboral caminha para a criação de quotas obrigatórias nas empresas para este tipo de contratação. Esta equipa será responsável por várias iniciativas como a criação de uma secção no seu site para candidatos e empregadores , a participação em fóruns e eventos da especialidade e pela discussão ativa desta realidade”, adianta.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Fotografia: André Vidigal/ Global Imagens)

Brexit trava preços das casas no Algarve

Angel Gurría, secretário-geral da OCDE, e Pedro Siza Vieira, ministro da Economia. Fotografia: Diana Quintela/ Global Imagens

OCDE. Alojamento cada vez mais caro ameaça turismo em Portugal

Jardim da Estrela, Lisboa Fotografia: Orlando Almeida / Global Imagens

Acciona. Depois da Graça, espanhóis compram prédio na Estrela

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Michael Page quer recrutar profissionais com deficiência