Telecomunicações

Miguel Almeida sobre futebol. “Nosso compromisso é de longo prazo”

Miguel Almeida e Luís Filipe Vieira quando foi fechado o acordo com o Benfica
Miguel Almeida e Luís Filipe Vieira quando foi fechado o acordo com o Benfica

Contratos com os clubes estão a ser analisados pela AdC. "Passaram 2,4 anos e não temos qualquer pista sobre se vai acontecer alguma coisa ou o quê"

“Temos compromissos e ao contrário de outros não saímos a meio”, diz Miguel Almeida, CEO da NOS, quando questionado sobre a ligação da operadora ao futebol, modalidade que tem estado envolta em polémicas envolvendo alguns dos principais clubes.

A NOS tem vários acordos de patrocínio e de distribuição de canais desportivos fechados com o Benfica e o Sporting, sendo ainda o name sponsor da 1ª Liga, com a Liga NOS. “Preferia que no futebol se falasse pela positiva. Foi o que nos levou a esta associação, que tem a ver com as emoções positivas que tem a ver com a nossa marca, que se associa a essa festa. É nessa perspetiva que queremos associar-nos ao futebol”, justificou.

Leia ainda: Miguel Almeida. 2017 “ano de intensidade competitiva anormal”

Não estar, nesta fase, a ser esse o tema da conversa “não é motivo de regozijo”, diz o gestor, mas garante que “o nosso compromisso é de longo prazo”.

Contratos com clubes ainda na AdC

A Autoridade da Concorrência (AdC) ainda tem sob análise os contratos fechados pelo operador com os clubes de futebol. “Há 2 anos e quatro meses que fizemos chegar à AdC os acordos que chegamos com os vários clubes. Todas as informações que a AdC solicitou foram prestadas em tempo útil. Passaram 2 anos de 4 meses e não temos qualquer pista sobre se vai acontecer alguma coisa ou o quê”, diz Miguel Almeida, quando questionado pelo Dinheiro Vivo sobre em que fase se encontrava o processo no regulador.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno, intervém durante a  conferência "Para onde vai a Europa?", na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, 22 de março de 2019. MÁRIO CRUZ/LUSA

Próximo governo vai carregar mais 8 mil milhões em dívida face ao previsto

O ministro das Finanças, Mário Centeno, intervém durante a  conferência "Para onde vai a Europa?", na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, 22 de março de 2019. MÁRIO CRUZ/LUSA

Próximo governo vai carregar mais 8 mil milhões em dívida face ao previsto

Os postos de combustíveis no país estão a ser abastecidos com a máxima urgência. Fotografia: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Motoristas asseguram combustível na Páscoa

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Miguel Almeida sobre futebol. “Nosso compromisso é de longo prazo”