Mimosa, Compal e Delta são as marcas mais escolhidas em Portugal

A Mimosa foi escolhida 44 milhões de vezes, mais do dobro da Compal e da Delta, ambas com 17 milhões. Os dados são do 'Brand Footprint' da Kantar que inclui, no top 10, a Terra Nostra, Gresso, Nobre, Renova, Agros, Milaneza e Coca-Cola. "Mesmo em contextos de crise, é possível crescer", defende Marta Santos, da Kantar.

A Mimosa continua a ser a marca de bens de grande consumo mais escolhida pelos consumidores portugueses, pelo nono ano consecutivo. Segundo o relatório anual global das marcas mais escolhidas, o Brand Footprint da Kantar, a Mimosa foi retirada das prateleiras 44 milhões de vezes. No pódio estão, ainda, a Compal e a Delta, ambas retiradas das prateleiras 17 milhões de vezes.

No top 10 desta tabela, em Portugal, seguem-se a Terra Nostra, Gresso, Nobre, Renova, Agros, Milaneza e Coca-Cola, sendo que esta última reentra na tabela das 10 marcas mais escolhidas.

O ranking Brand Footprint mede quantas vezes as marcas de bens de grande consumo são compradas no ponto de venda, considerando quantos lares compraram cada marca e quantas vezes o fizeram durante um ano (CRP"s). A Caçarola foi a marca que mais cresceu em CRP"s (36%), mas também a que mais compradores ganhou em 2020: subiu 18 posições no ranking e ocupa agora o 41º lugar. Marcas como Bimbo, Coca-Cola, Super Bock, Milka, Nova Açores, Gallo, Margão, Fula, Nacional, Olá, Delta, Vaqueiro, Oliveira da Serra e Águas de Penacova cresceram em CRP"s entre 23% e 8%.

Em comunicado, a Kantar dá conta que, apesar de a maior parte das marcas presentes no Top 50 serem de alimentação e bebidas, há também marcas de higiene e beleza e de cuidado do lar. São elas a Colgate, Nivea e Dodot, que ocupam a 14ª, 17ª e 50ª posições, respetivamente. Já no que ao cuidado diz respeito, destaque para Renova (7ª posição), Fairy (31ª), Cif (33ª), Sonasol (37ª) e Comfort (46ª).

Apesar de algumas movimentações, indica ainda a Kantar que a tabela das 25 marcas mais escolhidas em Portugal tem sido "fortemente consistente", com 17 delas a marcarem presença neste ranking nos últimos cinco anos. Mas há duas novas entradas, a Pescanova e Super Bock.

Em termos de crescimento, comparativamente a anos anteriores, a Kantar destaca a performance da Nacional, Pescanova, Super Bock e Nova Açores. A Nacional, que subiu duas posições face a 2019 e ocupa agora o 16º lugar do ranking, deveu-o à inovação, que lhe permitiu "captar, da melhor forma, a tendência de mais preparação de refeições em casa e de cozinhar mais de raiz, crescendo em CRP"s e com retorno em valor".

Já a Pescanova ocupa agora o 21º lugar do ranking, depois de subir seis posições comparativamente a 2019. Este é um "exemplo de como o ajuste promocional, com a aposta nos formatos familiares levou a um crescimento efetivo de CRP"s e também a um maior retorno em valor para a marca".

A Super Bock conseguiu tirar partido dos confinamentos, conseguindo captar os espaços de consumo que a pandemia gerou. "Cresceu acima da média das categorias de bebidas, chegando a mais compradores dentro de casa" e ocupa agora o 22º lugar, onze posições acima do ranking em 2019.

Quanto à Nova Açores, "ganhou compradores, fruto de uma estratégia integrada, em que a inovação e a comunicação da "pastagem 365 dias em pasto verde", associadas a um benefício específico como 0% de lactose, resultaram da melhor forma no aproveitamento de algumas tendências de consumo da atualidade", explica a Kantar. A marca está na 38ª posição (subiu seis posições) e "teve um dos maiores crescimentos em CRP"s".

Performances que mostram que, "mesmo em contextos de crise, é possível crescer e, neste sentido, a atração de novos compradores é mais importante do que nunca", defende a Manufacturers Sector Director da Kantar. Marta Santos sublinha que o "impulso no online, inovação, promoção, ponto de venda e comunicação são fundamentais".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de