Ministro da Economia: "Indústria 4.0 é ameaça para quem não se preparar"

"Portugal pode ganhar muito com processo de digitalização", no entender de Manuel Caldeira Cabral

O Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, esteve esta quarta-feira na inauguração do Centro de Cibersegurança da Siemens em Portugal. Este é mais um dos contributos da empresa alemã para a indústria 4.0 no nosso país. A quarta revolução industrial, entende o ministro da Economia, só é uma ameaça para quem não se prepara.

"A indústria 4.0 só é uma ameaça para quem não se prepara, porque pode melhorar áreas como a logística. Portugal pode ganhar muito com este processo de digitalização", referiu Caldeira Cabral aos jornalistas à margem da inauguração.

O ministro recordou também que o Governo tem a decorrer os grupos de trabalho da indústria 4.0, constituído por 80 empresas e startups e que deverá apresentar as primeiras conclusões em setembro. Dentro deste grupo está incluído um comité estratégico, que reúne cerca de 30 associações e empresas nacionais e que está a supervisionar os trabalhos do grupo de trabalho.

O novo centro de cibersegurança é o 23.º centro da Siemens em Portugal. Carlos Melo Ribeiro, presidente executivo da Siemens Portugal, salienta que o país "é uma Florida dentro da União Europeia, permitindo atrair, com o clima e a capacidade de engenharia, mais investimentos da empresa alemã em Portugal.

A empresa alemã também vai reforçar a colaboração com startups e universidades portuguesas, através do fornecimento gratuito de licenças de software.

Os Centros, de áreas tão diversas como a Energia, as Infraestruturas, os Serviços Partilhados e as Tecnologias de Informação, e que contam com cerca de mil colaboradores, já geraram um volume de negócios acumulado de 510 milhões euros, exportando brainware e serviços de alto valor acrescentado para os 200 países onde a Siemens está presente.

 

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de