fitness

Miralago. Única fabricante portuguesa de máquinas de fitness já exporta

Há pelo menos quatro mil
bicicletas públicas em França desenhadas e fabricadas em Portugal.
Fazem parte de um novo negócio descoberto pela Miralago, a única
fabricante portuguesa de máquinas de exercício físico.

São
bicicletas com um design único, do estúdio And-Ré, que se conectam a uma estação
eletrónica e têm como propósito servir de transporte até outra
estação, usando um cartão pré-pago. Depois de chegarem a
Vilamoura em julho deste ano, a Miralago está prestes a garantir a
instalação destas bicicletas em Viseu e em Sintra. Nuno Rodrigues,
comercial da empresa de Águeda, revela que o negócio de Viseu está
“praticamente fechado”, e a ambição é chegar a Lisboa.

A ideia nem sequer foi da
empresa, foi da entidade que gere os espaços urbanos em Vilamoura,
Inframoura. Estão instaladas cerca de 32 estações e 150 bicicletas
nesta fase, havendo parcerias entre a Inframoura e alguns hotéis,
cartões para residentes e para quem está de férias.

A Miralago, que emprega 90
pessoas na fábrica em Águeda, esteve presente na Convenção Manz
Fitness
em Aveiro, durante este fim de semana, a apresentar
novidades. Além das “bicicletas públicas”, outra aposta da
marca são as Água Sprint, bicicletas integralmente feitas em inox
para estarem dentro das piscinas dos ginásios. É um cruzamento
entre as aulas de bicicleta e as aulas dentro de água. “Todo o
software e hardware é desenhado por nós”, adianta Jorge Lacerda.
A ideia é agora conquistar terreno em piscinas municipais.

A empresa vende mais para
ginásios individuais, mas também tem uma linha doméstica. Segundo
o responsável, há muita gente que prefere fazer um grande
investimento num aparelho de fitness que pagar um ginásio todos os
meses. A grande vantagem em relação a marcas mais baratas que vêm
da Ásia é que a Miralago dá suporte e pode arranjar componentes de
modelos que se estragam, mesmo que já tenham sido descontinuados.

“Tivemos um ginásio com
um problema numa bicicleta nossa com vinte anos e apesar de já não
fabricarmos aqueles modelos conseguimos arranjar a peça”, conta
Nuno Rodrigues.

Ambos admitem que o
mercado já viu melhores dias, e que há uma grande pressão sobre os
preços. “Não se mexe na tabela há quatro anos”, diz Jorge
Lacerda. Mas como a Miralago detém 95% da Órbita, especializada em
bicicletas, o grupo tem interesses diversificados e não está
dependente das flutuações de cada mercado. Por outro lado, o
interesse em mercados internacionais tem crescido, o que permite à
Miralago continuar a fabricar, enquando outras concorrentes nacionais
faliram.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Poupança das famílias subiu no 2º trimestre

Deco pede medidas urgentes para travar crédito ao consumo

Elisa Ferreira, António Costa. Fotografia: Álvaro Isidoro/Global Imagens

Elisa Ferreira. Minas de lítio têm de “compensar impacto ambiental”

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira (E), e a ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D). Fotografia: ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Governo deixa cair referencial geral para aumento de salários

Miralago. Única fabricante portuguesa de máquinas de fitness já exporta