Hotelaria

Monchique. Hotéis das termas salvam-se de incêndio

Foto: Rafael Marchante/Reuters
Foto: Rafael Marchante/Reuters

Hotéis das termas escaparam intactos ao fogo de Monchique que lavra pelo quarto dia. Os hóspedes foram realojados.

O incêndio que lavra desde sexta-feira em Monchique, distrito de Faro, não provocou quaisquer danos materiais nem fez feridos nas duas unidades hoteleiras na zona das termas, informou Elidérico Viegas, presidente da AHETA, a associação que representa a hotelaria algarvia.

Vários hóspedes “foram realojados por cautela” em empreendimentos nas localidades vizinhas até o fogo estar controlado, disse ao Dinheiro Vivo. As chamas obrigaram à evacuação do Macdonald Monchique Resort & Spa e do Villa Termal das Caldas de Monchique Spa Resort.

Ainda assim, Elidérico Viegas garante que a situação “não está a provocar cancelamentos” de reservas hoteleiras. “Por enquanto, isso não se verificou, nem é expectável que venha a acontecer”, sublinha.

“Não é uma situação nova. Já deflagraram fogos morosos em Monchique, designamente no ano de 2003, que não tiveram qualquer impacto direto nas vendas ou no cancelamento de reservas efetuadas”, refere.

Por sua vez, o presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA) afirma que “não há nem nunca houve turistas em risco e isso é de salutar”. João Fernandes garante que tem estado em “contato permanente” com a Proteção Civil e os responsáveis das unidades hoteleiras para atualizações.

O responsável deu ainda conta de que foi emitido um comunicado à imprensa e operadores turísticos internacionais como medida de precaução para evitar “situações de alarmismo”.

João Fernandes prevê que ocorram cancelamentos de reservas nos hotéis locais, mas realça que “o Algarve, no seu todo, continua a acolher e a receber reservas para quem queira vir para a região”.

*Notícia atualizada às 18h10 com declarações da Região de Turismo do Algarve

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 04 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

Governo vê economia a crescer 4,3% em 2021 e desemprego nos 8,7%

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, durante a conferência de imprensa após a reunião extraordinária da Comissão Permanente de Concertação Social por video-chamada, no Ministério da Economia, em Lisboa, 16 de março de 2020. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Segunda fase do lay-off custa mais de 700 milhões de euros

Jorge Rocha de Matos, presidente da Fundação AIP. Foto: direitos reservados

Rocha de Matos: IVA devia ser de 6% em todos os eventos para ajudar o turismo

Monchique. Hotéis das termas salvam-se de incêndio