Justiça

Monsanto condenada a pagar indemnização de 1,8 mil milhões a casal com cancro

Monsanto foi comprada pela Bayer em setembro de 2016. (REUTERS/Brendan McDermid)
Monsanto foi comprada pela Bayer em setembro de 2016. (REUTERS/Brendan McDermid)

Um júri dos EUA infligiu uma terceira penalização de peso à Monsanto, detida pela Bayer, ao condená-la a pagar uma indemnização de dois mil milhões de dólares (1,8 mil milhões de euros) a um casal norte-americano.

Doentes com cancro, os membros do casal responsabilizaram o herbicida Roundup pela doença, segundo os seus advogados.

O júri atribuiu “dois mil milhões de dólares” ao casal Pilliod, a título de indemnização “punitiva” para sancionar o fabricante de herbicida com glifosato, anunciou, em mensagem enviada por correio eletrónico à AFP, um dos gabinetes de advogados que fizeram a defesa do casal, que processou o grupo agroquímico num tribunal de Oakland, no oeste dos EUA.

Antes, por razões similares, o grupo foi condenado a pagar indemnizações de 81 milhões de dólares, em março último, e 290 milhões de dólares, em agosto do ano passado.

A utilização do glifosato, nomeadamente para eliminar ervas daninhas nos jardins e ruas das localidades, tem oposto ambientalistas e grupos de consumidores à indústria, com aqueles a dizerem que é um produto cancerígeno e esta a argumentar que é necessário para conseguir alimentos suficientes para a população.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, o glifosato afeta o sistema endócrino e é uma “provável” substância cancerígena.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (D), durante o debate parlamentar de discussão na generalidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), esta tarde na Assembleia da República, em Lisboa, 09 de janeiro de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Subida do PIB em 2019 chega aos 2,2% com revisão nas exportações de serviços

GSFJ0097

Novo Banco com prejuízos de mais de 1.058 milhões de euros

O ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (E), ladeado pelo presidente da Comissão de Orçamento e Finanças, Filipe Neto Brandão (D) na audição na Comissão de Orçamento e Finanças. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Orçamento do Estado quase pronto para seguir para Belém

Monsanto condenada a pagar indemnização de 1,8 mil milhões a casal com cancro