Morreu Tavares Moreira, antigo governador do Banco de Portugal

O economista e antigo secretário de Estado tinha 75 anos.

José Alberto Tavares Moreira, antigo governador do Banco de Portugal, faleceu esta segunda-feira, no Porto, na sequência de doença prolongada, segundo uma nota divulgada pela sua família.

O economista e antigo secretário de Estado tinha 75 anos. "Sobrevive-lhe a mulher, Maria Carmen Fernandes Cardoso Moreira e seis irmãos", adianta o comunicado.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, enviou as suas "mais sentidas condolências" à família de Tavares Moreira. "Em todos os cargos que exerceu, Tavares Moreira deixou a marca da sua competência e do seu rigor e, bem assim, da sua discreta afabilidade de trato, hoje recordada por todos quantos o conheceram", refere uma nota publicada na página da Presidência da República na tarde desta terça-feira.

"Economista e jurista de formação, a trajetória profissional de José Tavares Moreira situou-se essencialmente no sector bancário, onde se destacou como diretor e administrador de diversas instituições, com destaque para a Caixa Geral de Depósitos", destaca.

Lembra que, "a par disso, exerceu com indiscutível mérito funções governativas no Ministério das Finanças e foi deputado à Assembleia da República, tendo sido Governador do Banco de Portugal entre 1986 e 1992".

Também o Banco de Portugal emitiu uma nota de pesar. "O Dr. José Alberto Tavares Moreira foi Governador do Banco de Portugal entre 1986 e 1992 e era, atualmente, membro do respetivo Conselho Consultivo", recorda o Banco de Portugal.

"Neste momento de perda e de consternação, o Governador e os membros do Conselho de Administração do Banco de Portugal endereçam à família do Dr. José Alberto Tavares Moreira o seu mais profundo pesar", adiantou.

Carlos Tavares, presidente do Banco Montepio, elogiou o "homem bom e um grande profissional que muito contribuiu para o desenvolvimento do nosso sistema financeiro".

"O seu mandato como governador do Banco de Portugal fica indelevelmente marcado pelo reforço da capacidade, da autonomia e da independência do banco central e pela grande reforma da política monetária e cambial", disse.

"Tive o gosto e a honra de participar, enquanto secretário de Estado do Tesouro, na concretização dessa reforma, no que foi um notável exercício de cooperação entre as duas instituições, com total respeito pela autonomia e independência do Banco de Portugal", lembrou.

Recordou que Tavares Moreira também "com grande determinação defendeu, ajudou a construir e modernizou o sistema de Crédito Agrícola Mútuo, tal como hoje o conhecemos". "O país deve-lhe muito e pessoalmente estou-lhe grato pela sua obra e pelo muito que com ele pude aprender".

O velório decorre esta terça-feira na Igreja da Misericórdia da Póvoa do Varzim e o funeral realiza-se esta quarta-feira, às 11H00.

Atualizada às 20H28 com declaração de Carlos Tavares

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de