Move On: Indianos da Tata vendem fábrica ao gestor português

Com o processo de Management Buy Out liderado por Fernando Brogueira, a Move On regressa a 'mãos' portuguesas. A empresa vai passar a produzir todo o seu calçado em Portugal e tem já uma parceria, em regime de exclusividade, com uma marca de sapatos de criança espanhola, a Zapato Feroz

Mais conhecida como ex-Aerosoles, marca que produziu e representou, durante décadas, no mercado europeu, a Move On voltou a ser detida por capitais nacionais. Em ano de pandemia, os indianos da Tata quiseram fechar a fábrica de Ovar, e Fernando Brogueira, o gestor da empresa, decidiu comprá-la e assumir o projeto.

Entretanto, já contratou dez novos funcionários, elevando a equipa para a meia centena de pessoas. E quer contratar mais. A empresa começou por ser da Investvar, o maior grupo nacional de calçado. Liderada por Artur Duarte, tinha então mais de 1300 trabalhadores e uma faturação acima dos 100 milhões, com uma extensa rede de lojas e fábricas em Portugal e na Índia.

Foi depois resgatada, em processo de insolvência, pelo Fundo de Recuperação de Empresas e comprada, em 2009, pelo grupo Tata. No entretanto, com a falência do Aerogroup International, o dono da Aerosoles, a Move On ficou sem a representação da marca em 2018 e teve de se reinventar. Fechou a fábrica e as lojas que tinha em Portugal e lançou uma nova marca própria, a Saydo, que fazia na pequena unidade de produção de amostras, em Ovar, e com gáspeas que importava da casa-mãe na Índia.

Com a pandemia, o grupo Tata pretendeu fechar a unidade em Portugal, concentrando-se na produção de private label, a chamada subcontratação, na Índia. Fernando Brogueira avançou com a compra.

Nesta quarta vida, a Move On deixa de importar gáspeas da Índia e será 100% produzida em Portugal. "É uma escolha estratégica, vamos ter um processo mais sustentável, mais direto e mais rápido", diz o empresário. Renasce, ainda, como produtora de calçado de criança, numa parceria exclusiva com um cliente espanhol, a Zapato Feroz. Espera, em 2022, produzir 250 mil pares e faturar cinco milhões de euros.

Como a produção só arranca "daqui por uns meses", Fernando Brogueira está, entretanto, envolvido numa parceria com a Flex & Go. A marca é da Cindicalfe, de Castelo de Paiva, e dedica-se à produção de calçado de conforto, uma área em que Fernando Brogueira domina. "Há uma série de investimentos feitos anteriormente e de know how de produção e de mercado que colocamos à disposição da Flex & Go, mediante o pagamento de um royalties", explica.

Já José Domingos, da Flex & Go explica que a parceria vai permitir o desenvolvimento de uma coleção do tipo stitch and turn, um tipo de construção de calçado, e o acesso aos mercados do norte da Europa. O objetivo é potenciar um "crescimento significativo" da Flex & Go em 2022, muito para além dos quatro milhões que faturou em 2019.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de