Literacia digital

MUDA: Empresas e associações querem portugueses a usar melhor a internet

Fotografia: DR
Fotografia: DR

Movimento pretende que Portugal torne-se numa "sociedade mais evoluída, de cidadania ativa, inclusiva e participativa"

Mais de um em cada quatro portugueses (26%) nunca acedeu à Internet. Para reduzir esta percentagem para metade, é apresentado esta segunda-feira o MUDA, Movimento pela Utilização Digital Ativa, que conta com o apoio de empresas, associações, universidades e o próprio Estado. O principal objetivo é ajudar os portugueses a tirar partido dos benefícios dos serviços digitais.

“A ambição do MUDA é reduzir para metade o número de pessoas que não acedem à internet – hoje são 26% da população portuguesa e pretendemos que seja 15% da população em 2020”, refere Alexandre Nilo da Fonseca, diretor executivo do MUDA, em resposta por email às questões do Dinheiro Vivo.

Este movimento pretende que Portugal torne-se numa “sociedade mais evoluída, de cidadania ativa, inclusiva e participativa”. Além de reduzir o número de pessoas sem aceder à internet, existe a meta de “aumentar a percentagem dos utilizadores de internet para 85% – hoje são pouco mais de 70% e queremos praticamente duplicar o número de utilizadores com competências avançadas para 50% – hoje são somente 28%”, adianta Nilo da Fonseca, citando dados da Comissão Europeia.

O MUDA conta com um total de 15 entidades promotoras, entre bancos, seguradoras, elétricas e operadoras de telecomunicações; parceiros institucionais como universidades e o Estado, além de televisões e de associações.

A partir desta segunda-feira, será lançado uma página própria do movimento, que irá incluir um questionário e informação útil para que cada português avalie o seu nível de literacia digital.

Depois da apresentação oficial, o movimento vai promover uma digressão pelos 18 distritos e que irá permitir às pessoas desde a primeira experiência na internet à apresentação de meios sofisticados como a realidade virtual. Além disso, será criada uma rede de espaços deste movimento e que será “constituída pelas milhares de lojas e balcões dos parceiros MUDA, onde os cidadãos poderão também desenvolver os seus conhecimentos e ser desafiados para avançar na literacia digital”, diz o diretor executivo do movimento.

O MUDA é um projeto gerido e implementado pela A2D Consulting, empresa especializada em serviços de consultadoria em transformação digital, e que é liderada por Alexandre Nilo da Fonseca.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Eleições europeias: 11,56% dos eleitores votaram até ao meio-dia

Um espécime de um boletim de voto das Eleições Europeias é exibido durante a audição do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, na Assembleia da República, Lisboa, 09 de maio de 2019.  JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Líderes partidários já votaram com apelos à participação

A população da freguesia que agrega as aldeias de Morgade, Carvalhais e Rebordelo, mobilizou-se contra a mina a céu aberto anunciada para esta localidade, apelando ao boicote nas Eleições Europeias, em Montalegre, 26 de maio de 2019. FOTO PEDRO SARMENTO COSTA/LUSA

Boicote às eleições na freguesia de Morgade, em Montalegre

Outros conteúdos GMG
MUDA: Empresas e associações querem portugueses a usar melhor a internet