“Não vamos desinvestir” em Portugal, diz a PT Portugal

ng4731523

"Vamos insistir na Inovação. Os três pilares da nossa estratégia são investimento, inovação e qualidade de serviço. Não vamos desinvestir". A garantia foi deixada por Paulo Neves, CEO da PT Portugal, durante a conferência organizada pela Anacom Regulação no Novo Ecossistema Digital, hoje no CCB.

O encontro reuniu pela primeira vez num evento público os três CEO da operadoras das telecom em Portugal para discutir o impacto da regulação no negócio das empresas, face aos concorrentes OTT (over the top) como o Skype ou o What’s Up.

“Já anunciamos a vontade de investir em fibra óptica, a infraestrutura é uma componente e que exige grande investimento”, referiu Paulo Neves, que assumiu a liderança da dona do Meo depois da Altice ter comprado a empresa. Investimento a que se junta a aposta em inovação onde a PT tem histórico com a PT Inovação, a que o CEO chamou de “fábrica de Inovação”. “Fábrica de inovaçao vai ser usada por todo o grupo Altice. Trata-se de um universo de 15 países”, realça o gestor. Frisando que o “data center da Covilhã é peça fundamental na nossa estratégia de servir os nossos clientes”.

“Há players que aparecem e desaparecem. No caso do big data há oportunidades que surgem e a NOS está a preparar-se para as aproveitar”, diz Miguel Almeida, CEO da NOS,

O futuro do modelo de negócio das operadoras passam apenas pela conectividade? Hoje fala-se muito da oportunidade do big data para os operadores, mas estamos obrigados a uma série de regulação a que os OTT não são obrigados. “Não podemos usar para desenvolvimento de produtos a localização dos nossos clientes, mas as limitações não são as mesmas que os OTT podem obter com a localização via GPS”, alerta Mário Vaz, CEO da Vodafone.

O modelo de negócio em 2020 vai depender muito do que a regulação europeia, Digital Single Market, vier a definir: serão os OTT como Skype ou What’s Up sujeitos às mesmas limitações impostas pela regulação aos operadores ou serão estes a ter a mesma flexibilidade até aqui dos OTT?, questionou Vaz.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Indústria do calçado. 
Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal regressou ao Top 20 dos maiores produtores de calçado

Sonae Industria

Ações da Sonae Indústria e da Sonae Capital disparam após OPA da Efanor

Alexandre Meireles, presidente da ANJE. Fotografia:  Igor Martins / Global Imagens

ANJE teme que 2021 traga “grande vaga” de falências e desemprego

“Não vamos desinvestir” em Portugal, diz a PT Portugal