Aeroporto

NAV fecha acordo que traz novo sistema de tráfego a Lisboa

Fotografia:   João Girão / Global Imagens
Fotografia: João Girão / Global Imagens

NAV assina esta quarta-feira o acordo que sela a adesão à Aliança COOPANS que trará novo fôlego ao aeroporto de Lisboa

O Governo já tinha prometido que seria em março e agora chega a confirmação. A NAV fecha esta quarta-feira o acordo que vai permitir a Portugal entrar para a aliança COOPANS, o grupo que trará um novo sistema de controlo de tráfego aéreo e, com ele, novo fôlego ao aeroporto de Lisboa.

“A decisão de aderir à Aliança COOPANS teve como pressuposto estratégico proporcionar à NAV Portugal um melhor posicionamento para fazer face aos desafios tecnológicos e de procedimentos colocados aos Prestadores de Serviços de Navegação Aérea pelas Diretivas, requisitos e definições do Céu Único Europeu, bem como para fazer face ao forte e imprevisto aumento do tráfego registado ao longo dos últimos anos na Região de Informação de Voo (RIV) de Lisboa”, refere a nota de imprensa que dá conta da cerimónia de assinatura, acrescentando que com esta adesão, “a NAV Portugal passará a usufruir do sistema de gestão de tráfego aéreo comum da Aliança”.

É o pontapé de saída para a reforma do velhinho ATM que já não permite dar resposta ao acréscimo de tráfego da Portela e que, além disso, é insuficiente para garantir a coordenação da pista do aeroporto de Lisboa e da base aérea do Montijo, quando o plano complementar para extensão do aeroporto avançar.

“Deve ainda sublinhar-se que esta evolução tecnológica que representa o novo sistema de gestão de tráfego aéreo é crucial para permitir à NAV Portugal continuar a fazer face ao forte incremento de tráfego registado na RIV de Lisboa nos últimos anos e deste modo contribuir de forma ativa para o crescimento económico nacional”, revela a mesma nota.

No final do ano passado, o Sindicato dos Controladores de Tráfego Aéreo (SCTA) denunciou que a NAV foi confrontada por quatro falhas do sistema de tráfego atual entre janeiro e outubro. A 11 de março, 20 de agosto, 2 de outubro e 9 de outubro, o sistema ATM terá falhado por alguns minutos durante os quais os aviões tiveram de permanecer no ar ou nas pistas, sem poder descolar.

A adesão a este consórcio internacional chegou a estar preparada mas Portugal acabou por adiar o processo que demora dois a três anos a implementar. O novo sistema custa entre 30 e 40 milhões de euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Antonoaldo Neves EPA/GUILLAUME HORCAJUELO

TAP contrata mil tripulantes, traz 37 aviões novos e liga o Whatsapp (de graça)

Fotografia: João Girão/Global Imagens

Autoeuropa pode parar a qualquer momento por falta de espaço para os carros

gaspar fmi contas públicas défice dívida

FMI. Dívida mundial atinge máximo histórico de 162 biliões de euros

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
NAV fecha acordo que traz novo sistema de tráfego a Lisboa