Indústria

Nestlé Portugal acaba com palhetas de plástico para mexer café

Café

Medida é uma das ações previstas pela Nestlé Portugal para cumprir com os compromissos de redução de plástico até 2025

A Nestlé Portugal vai acabar com as palhetas de plástico para mexer café nos pontos de venda onde estão a ser comercializadas as suas cinco marcas de café, bem como os copos de plástico das máquinas de venda, substituindo-os por alternativas mais ambientes. Só esta medida vai retirar 88 toneladas de plástico de ano do mercado, de acordo com informação prestada pela empresa ao Dinheiro Vivo.

A iniciativa da companhia em Portugal insere-se no âmbito das ações para cumprir com o compromisso da multinacional de até 2025 tornar as suas embalagens de plástico recicláveis ou reutilizáveis, com particular foco em evitar resíduos plásticos.

A Nestlé é um dos gigantes mundiais que tem avançado com iniciativas com vista à redução dos resíduos de plástico, à semelhança de outras companhias como a Carlsberg, a Coca-Cola ou a PepsiCo, num momento em que na Europa a pressão aumenta para a redução do plástico e na aposta para reciclagem.

“Embora estejamos comprometidos em encontrar opções de reciclagem onde for viável, sabemos que 100% de reciclagem não é suficiente para enfrentar com sucesso a crise dos resíduos plásticos. Precisamos de desafiar os limites e de fazer mais. Estamos determinados a analisar todas as opções para resolver este complexo desafio e adotar várias soluções que podem ter um impacto no presente. Acreditamos no valor dos materiais recicláveis e compostáveis à base de papel ​​e nos polímeros biodegradáveis, principalmente nos casos onde não existe uma infraestrutura de reciclagem”, diz o CEO da Nestlé, Mark Schneider, citado em nota de imprensa.

Em Portugal, a companhia quer até ao final de janeiro retirar todas palhetas de plástico para mexer café nos pontos de venda onde estão a ser comercializados as suas marcas Buondi, Sical, Tofa, Christina e Nescafé, substituindo-as por palhetas de madeira. A empresa quer ainda substituir os copos de plástico nas máquinas de venda automática por copos recicláveis, em papel cobertos por material mineral. Uma medida que, segundo adiantou a empresa ao Dinheiro Vivo, deverá reduzir 88 toneladas/ano de plástico.

Na fábrica de café, no Porto, “vão ser testadas até finais de março duas novas estruturas 100% recicláveis para embalagens de café, em grão e moído, para o lar”, informa a empresa.

Em Avanca, a Nestlé Portugal tem ainda, já em fase de ensaios, bolsas 100% recicláveis para embalamento de produtos da gama de nutrição infantil e novos materiais de embalagens para o Nesquik achocolatado.

E até ao final do ano, nesta unidade o filme retrátil (para envolvimento de packs de várias embalagens) será substituído progressivamente por cartão. Nesta fase, a empresa ainda não tem contabilizado o impacto destas medidas ao nível da redução de plástico.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Pardal Henriques, do SNMMP. 
(MANUEL DE ALMEIDA/LUSA)

Sem acordo “por 50 euros”, diz sindicato. “Querem impor aumento”, acusam patrões

O advogado e porta-voz do sindicato nacional dos motoristas, Pardal Henriques. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Pardal Henriques foi a personalidade mais mediática da greve

Outros conteúdos GMG
Nestlé Portugal acaba com palhetas de plástico para mexer café