Consumo

Nestlé reduz plástico. Novo Nesquik chega a Portugal em embalagem de papel

Nesquik 4

A Nestlé lança a primeira embalagem em papel reciclável. Portugal é um dos cinco países a receber já este mês o novo Nesquik All Natural.

Foram nove meses de desenvolvimento para trazer à luz do dia a primeira embalagem reciclável da Nestlé: uma bolsa de papel. A pequena embalagem de papel do novo Nesquik All Natural chega este mês a Portugal, Alemanha, França, Espanha e Itália e sinaliza por onde deverá passar o futuro desenvolvimento das embalagens de produtos alimentares, reduzindo os milhões de toneladas de plástico que anualmente entram no circuito ambiental. Na Europa, menos de 30% do plástico é recolhido para reciclagem. Resultado? Anualmente, 12,7 mil milhões de toneladas de plástico acabam nos oceanos.

A pressão para reduzir o plástico ou para a sua substituição por plástico reutilizável tem vindo a aumentar. Na Europa há metas exigentes e, em Portugal, o Governo acaba de anunciar que, a partir de julho de 2020, seis meses antes do prazo exigido por Bruxelas, a venda de palhinhas, pratos, talheres, copos e cotonetes de plástico vai ser proibida. Muitas companhias têm apresentado os seus próprios compromissos de redução do plástico, material de eleição da indústria pela leveza, resistência e proteção que oferece ao nível de segurança alimentar. No caso da Nestlé, até 2o25, a multinacional suíça pretende que todas as suas embalagens sejam recicláveis ou reutilizáveis e evitar que 140 mil toneladas de plástico entrem no ambiente.

Desafios de uma bolsa em papel

O Nesquik All Natural é o primeiro produto que põe em prática este compromisso”, assegura Sarah Divanbeigi, especialista sénior em embalagens da Nestlé, que liderou a equipa que durante quase um ano esteve a desenvolver a embalagem para esta nova variedade da marca de cacau em pó. No projeto, a multinacional trabalhou com parceiros externos, para resolver o desafio de criar uma bolsa em papel que mantivesse o produto alimentar em perfeitas condições de transporte e armazenamento. Tiveram de colocar um revestimento no papel, tornando-o mais resistente e fácil de manusear, funcionando ainda como barreira entre o cacau em pó e o papel. Que revestimento? Sarah Divanbeigi não adianta. “É largamente conhecido na indústria do papel”, diz apenas, permitindo que, no momento da reciclagem, o papel seja 100% reutilizável.

Nesquik 3

Optar por uma embalagem de papel em vez do habitual plástico também exigiu alterações na linha de embalamento na fábrica da Nestlé em Szerencs, na Hungria. Na unidade, escolhida pela companhia para produzir a nova referência da Nesquik por estar vocacionada para a produção de pequenos volumes, há muito que os 450 trabalhadores estão familiarizados com a produção de produtos de cacau em pó. “A grande diferença que tivemos com este produto foi com o embalamento. Face à embalagem de plástico, a atual bolsa de papel é menos flexível, por isso não a podemos usar da mesma forma, não dobra tão facilmente, e tivemos que fazer algumas alterações”, descreve Hélène Kovalevsky, a diretora da fábrica. Outro desafio foi a selagem da bolsa. “O papel não pode ser selado da mesma forma que o plástico. Por isso, tivemos de reduzir em 40% a velocidade da máquina, para termos mais tempo para selar na temperatura recomendada”. Neste momento, sai da linha 45 embalagens por minuto de pacotes de 168g, que depois são colocados manualmente em caixas para seguir para os cinco primeiros mercados europeus que vão receber as primeiras 500 toneladas da nova gama. “Mas vai aumentar muito rapidamente, porque estamos a receber vários pedidos para lançar este pedido em vários mercados.”

Nesquik

Nova gama com menos açúcar

A saqueta inovadora chega ao mercado com uma nova gama da Nesquik. Mas a Nestlé admite que o objetivo é aplicar esta mesma estratégia não só a outras gamas da Nesquik como a outros produtos da multinacional. Sem revelar datas. “É a primeira vez que fizemos isto, aplicaremos estes ensinamentos a outros produtos o mais possível”, admite Sarah Divanbeigi.

Portugal é um dos cinco primeiros países europeus a receber a nova referência da Nesquik, país onde a marca tem uma quota de 53%. O produto chega ao mercado com a promessa de uma fórmula com menos açúcar. Outro dos compromissos da Nestlé. Só em Portugal, entre 2013 e 2017, foram retiradas 2750 toneladas de açúcar dos produtos da Nestlé, o equivalente a 687 milhões de colheres de chá ou 11 milhões de calorias, segundo números avançados pela empresa. O novo Nesquik All Natural tem baunilha, canela e mais de 30% de cacau, tendo substituído o açúcar refinado por açúcar cana, resultando numa menor quantidade de açúcar (62,5%) em relação à gama standard (75%). Uma fórmula com a qual querem conquistar 5% de quota de mercado.

  • *A jornalista viajou a convite da Nestlé
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
boris johnson brexit

Brexit: Um acordo que responde “às circunstâncias únicas da Irlanda”

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Outros conteúdos GMG
Nestlé reduz plástico. Novo Nesquik chega a Portugal em embalagem de papel