Indústria

Nestlé reorganiza na Suíça. Centro operacional da Nespresso vem para Portugal

EPA/LAURENT GILLIERON
EPA/LAURENT GILLIERON

O gigante suíço reorganizou a sua operação na área das tecnologias na Suíça, tendo deslocalizado parte das operações para Portugal, Espanha e Itália

Portugal vai receber um centro operacional da Nespresso no âmbito de uma reorganização da Nestlé na Suíça.

“Trata-se de um centro operacional da Nespresso que será estabelecido em Portugal, por forma a beneficiar da já existente estrutura do NBS Lisbon (Nestlé Business Services) para a área de supply chain”, adianta fonte oficial da Nestlé ao Dinheiro Vivo. Para Portugal e para este centro operacional da Nespresso esperam-se 50 pessoas que virão de mercados externos, entre os quais da Suíça.

No final de maio, a multinacional anunciou uma reorganização da sua estrutura na Suíça, planeando nos próximos 18 meses cortar até 500 postos de trabalho na área da tecnologia , deslocalizando parte desses postos de trabalho e operações para mercados como Espanha, Portugal e Itália. Uma decisão justificada pela vontade da multinacional acelerar a sua transformação digital e responder com maior rapidez às mudanças tecnológicas.

No caso de Espanha, a deslocalização irá beneficiar o hub digital que a Nestlé tem em Barcelona, onde nos últimos dois anos centralizou a sua plataforma global de desenvolvimento de aplicações, páginas web, lojas online, e onde trabalham 150 pessoas, noticiou o Expánsion.

A reorganização afeta também a Nespresso que prevê deslocalizar atividades para Espanha e Portugal (centros operativos especializados em comércio eletrónico e cadeia de fornecedores) e Itália que deverá receber um centro de excelência de gestão de lojas boutique.

No caso português a decisão beneficia da existência do novo centro de serviços que a Nestlé instalou em Portugal para prestar serviços para vários mercados europeus. Neste momento, no centro, instalado na sede em Linda-a-Velha, já estão a trabalhar 140 pessoas prestando apoio na área de processamento de encomendas, compras e desenvolvimento de media sociais digitais, para mercados como Espanha, Bélgica, Luxemburgo, Holanda, Escandinávia, Itália (arranca ainda em maio) e a França em breve.

“Temos a ambição de ter [no centro] cerca de 400 pessoas”, diz Paolo Fagnoni, diretor-geral da Nestlé Portugal. Número que a empresa quer atingir “até ao final do ano ou início de 2019”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
EPA/MICHAEL REYNOLDS

Ação climática. Portugal vai ter de gastar mais de um bilião de euros

EPA/MICHAEL REYNOLDS

Ação climática. Portugal vai ter de gastar mais de um bilião de euros

2. Fazer pagamentos à frente do empregado

Consumo: seis em cada 10 portugueses paga as compras a prestações

Outros conteúdos GMG
Nestlé reorganiza na Suíça. Centro operacional da Nespresso vem para Portugal