Fintechs

Norte fará duplicar rede de incubadoras nacional até 2022

mitos-tecnologia-5-960x540_c

Tema estará em debate no próximo dia 16 no auditório da AEP, em Leça da Palmeira

O numero total de incubadoras localizadas a norte de Portugal poderá vir a duplicar, até 2022, fruto das “condições únicas de atração de talento” da região, e fazendo aumentar para cerca de 200 as incubadoras e fintechs no país. As estimativas são da Portugal Fintech e serão apresentados no Fórum Financeiro Tecnológico que, quinta-feira, decorre no auditório da AEP, em Leça da Palmeira.

Este crescimento poderá assegurar um “equilíbrio” das fintechs em Portugal a norte e sul, já que, segundo a Portugal Fintech, Lisboa assegura 62% das 120 tecnológicas financeiras do país, sendo que os restantes 38% estão de Coimbra para cima, com 19% no Porto e 10% em Braga.

A análise do potencial de crescimento a norte será um dos temas em análise no fórum sobre a Transformação Digital na Optimização da Gestão das Empresas, evento que servirá, também, como apresentação da Portugal Fintech à região. Sérgio Rebelo, mestre em Economia do Trabalho na americana Kellogg School of Management, “analisará as oportunidades e desafios que as tecnologias digitais em geral e a inteligência artificial em particular traçando uma visão sobre o modo como as novas tecnologias digitais estão a alterar de forma profunda o mundo dos negócios e como se articula o domínio das mesmas na capacidade de atrair, reter e motivar colaboradores com grande talento”.

O outro dos palestrantes será Pablo Soler, empreendedor e investir, que dará o seu contributo sobre o rol de oportunidades que as tecnológico-financeiras proporcionam. “O aumento da conectividade e evolução de novas tecnologias, como o Big Data, Inteligência Artificial, block chain, segurança cibernética, cloud, redes móveis ou até mesmo IoT (Internet of Things – Internet das Coisas), novos modelos de negócios, e muitas vezes revolucionários, estão a aparecer na área financeira, uma indústria que é principalmente orientada por dados e tem, atualmente, menos barreiras à entrada do que alguma vez teve”, pode ler-se no comunicado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
(Joao Silva/ Global Imagens)

Preço das casas aumentou 1,7% em novembro

Kristalina Georgieva, diretora-geral do FMI. Fotografia: EPA/MICHAEL REYNOLDS

FMI corta crescimento dos maiores parceiros de Portugal: Espanha e Alemanha

Isabel dos Santos  EPA/TIAGO PETINGA

Isabel dos Santos: Angola escolheu um caminho em que “todos vão ficar a perder”

Norte fará duplicar rede de incubadoras nacional até 2022