Telecomunicações

NOS com lucros de 90,2 milhões até junho

Miguel Almeida
Miguel Almeida

Até final de junho a NOS já tinha 4,525 milhões de casas ligadas com rede, mais 350 mil do que há um ano

A NOS fechou o primeiro semestre com lucros de 90,2 milhões de euros, uma subida de 13% em relação aos primeiro seis meses do ano passado.

A operadora liderada por Miguel Almeida fechou junho com receitas de exploração de 781,7 milhões de euros (+1,2%), tendo as de telecomunicações aumentado 1%, para 747,6 milhões de euros, apesar do impacto menos positivo da redução das tarifas de terminação e pela queda de consumo dos canais desportivos premium, refere a operadora. No período o EBITDA atingiu os 331,9 milhões (+2,5%), com a margem EBIDTA a melhorar 0,5 pontos percentuais, para 42,5%.

A divisão de cinema e audiovisuais apresenta “uma forte recuperação” no segundo trimestre, tendo contribuído para um crescimento no semestre de 4,2%, para 54,9 milhões de euros. O número de bilhetes vendidos aumentou 26%, no segundo trimestre, elevando para 4,1 milhões o número de bilhetes vendidos até junho (+3,2%).

Investimento de 182 milhões até junho

Até junho, a empresa investiu 182 milhões de euros, mais 1,7% do que há um ano, com o aumento na área de telecomunicações a subir 3,1% com a aposta feita nas redes de nova geração, fixa e móvel.

O número de casas passadas com rede fixa aumentou 8,4%, para 4,525.3 milhões, mais 350 mil do que há um ano.

Na televisão, a empresa fecha com 1,329.7 milhões de clientes de acesso na rede fixa (+2,1%). O número total de clientes de televisão da NOS situa-se, no final de junho, nos 1,617 milhões.

Os clientes de voz fixa subiram para 1,7 milhões na rede voz fixa (+0,7%) e atingiram os 1,3 milhões na rede banda larga (+3%). No móvel, a base cresceu 1%, para 4,769.1 milhões.

O número de serviços empresariais atingiu os 1,515 milhões, uma subida face aos 1,489 milhões registados em período homólogo do ano passado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(PAULO CUNHA/LUSA)

Costa espera ser primeiro-ministro 12 anos e dar início à regionalização

O novo primeiro-ministro, António Costa. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

OE2020: Costa anuncia reforço de incentivos ao arrendamento acessível

Alexandra Leitão, ministra da Administração Pública. Fotografia: António Pedro Santos/Lusa

Funcionários mais antigos podem perder dias de férias com baixas prolongadas

Outros conteúdos GMG
NOS com lucros de 90,2 milhões até junho