Patrocínios

NOS estuda eventual rescisão com o Sporting

Equipa do Sporting tem sido contestada por ter perdido segundo lugar no campeonato na última jornada.
(EPA/GREGORIO CUNHA)
Equipa do Sporting tem sido contestada por ter perdido segundo lugar no campeonato na última jornada. (EPA/GREGORIO CUNHA)

NOS não comenta informação avançada pelo O JOGO nem comenta agressões na Academia do Sporting

A NOS estará a estudar uma eventual rescisão com o Sporting, avança o jornal desportivo O Jogo. A operadora não comenta este assunto.

A operadora fechou em 2015, juntamente com a PPTV, um contrato com o Clube de Alvalade de 515 milhões, o mesmo prevê o patrocínio ao clube, a transmissão e distribuição do canal do Sporting e, no caso da PPTV a gestão da publicidade no estádio de Alvalade.

O acordo é válido por 12,5 épocas, mas o atual momento do clube poderá antecipar o fim do contrato, diz o desportivo.

A NOS passou a ser a principal patrocinadora do clube, após a guerra de conteúdos de futebol envolvendo a operadora liderada por Miguel Almeida e a Meo/Altice. A ‘guerra’ terminou com a NOS a garantir contrato com o Benfica e o Sporting e a Meo com o FCP Porto.

O atual momento do futebol, com notícias constantes de casos de corrupção envolvendo os clubes, era algo que não era “motivo de regozijo”, admitiu recentemente Miguel Almeida, durante a apresentação das contas de 2017 da companhia, em março

“Preferia que no futebol se falasse pela positiva. Foi o que nos levou a esta associação, que tem a ver com as emoções positivas que tem a ver com a nossa marca, que se associa a essa festa. É nessa perspetiva que queremos associar-nos ao futebol”, disse Miguel Almeida. Ainda assim o CEO garantia que o compromisso da operadora com o futebol era um compromisso de longo prazo.

Silêncio da NOS e repudio da Altice

Na terça-feira adeptos de cara tapada invadiram a Academia do Sporting, em Alcochete, tendo agredido jogadores e equipa técnica que se preparava para a Taça de Portugal, prevista para domingo no Jamor contra o Clube Desportivo das Aves. Mais de 20 suspeitos de agressão já foram detidos, tendo o caso gerado reações de repúdio, entre as quais do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

A NOS não comenta o caso, mas a concorrente Altice, patrocinadora do FCP, já reagiu. “Episódios como o ocorrido no dia de ontem não representam o Futebol, nem o Desporto Português”, diz a operadora.

“A Altice Portugal não pode deixar de repudiar o episódio de violência associado ao futebol português ocorrido ontem”, diz a operadora em comunicado. A operadora patrocina através da Meo vários clubes nacionais, a Seleção e associou-se recentemente ao Desporto Escolar, e por isso não pode “alhear-se dos factos ocorridos esta terça-feira que não representam, de forma alguma, o espírito do Desporto que se quer feito de competição saudável, espetáculo e desportivismo”.

“A Altice Portugal reconhece o esforço e dedicação dos mais diversos intervenientes no futebol português e orgulha-se pelos resultados que este tem obtido ao longo dos tempos, principalmente no atual momento em que Portugal é Campeão Europeu de Futebol”, diz a companhia.

“O futebol Português não merece este tipo de comportamentos e muito menos ser beliscado por atos que em nada se identificam com a linha estratégica e orientadora do nosso País”, diz.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Pedro Queiroz Pereira

Pedro Queiroz Pereira deixa império de mil milhões

Pedro Queiroz Pereira, presidente do conselho de administração da Semapa

Semapa: “Mais do que um património, PQP deixa força e deixa valores”

Bruno Bobone

Bruno Bobone: PQP “era um exemplo de coragem e persistência”

Outros conteúdos GMG
NOS estuda eventual rescisão com o Sporting