Telecomunicações

NOS/5G: Não usar rede da Huawei significa atraso de “pelo menos 2 anos”

Miguel Almeida, presidente executivo da NOS.
Miguel Almeida, presidente executivo da NOS.

“Vivemos com base em factos e não temos evidências de problemas de segurança com as redes da Huawei”, afirma Miguel Almeida.

“A NOS não tem conhecimento, nem nenhuma evidência que exista um problema de segurança com as redes da Huawei”, garante Miguel Almeida, presidente executivo da NOS.
A operadora tem uma parceira tecnológica com a Huawei, empresa que o Governo norte-americano baniu nos Estados Unidos de operar nas redes 5G por motivos de segurança nacional.
A NOS tem acompanhado as notícias, mas, diz, “são especulações, baseadas no facto de ser uma empresa chinesa e de um pais chinês”.
“Vivemos com base em factos e não temos evidências de problemas de segurança com as redes da Huawei”, afirma.
“A NOS cumpre a lei portuguesa e europeia, e as recomendações dos regulares nacionais e europeus, não creio que estejamos ao abrigo da lei americana”, diz o CEO da NOS.
E deixa um alerta. “Se a decisão da Europa for no sentido de não permitir o desenvolvimento das redes 5G da Huawei, será pelo menos dois anos de atraso para Europa e para todos os países que têm as redes 4G suportadas pela Huawei”, diz. Espanha e Alemanha foram alguns dos exemplos referidos.
Uma decisão destas significa um atraso com “base em evidências que não existem”.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Mário Centeno

Centeno volta a cativar mais dinheiro

Natalidade. Fotografia: Pedro Granadeiro / Global Imagens

Despesa com apoios à família é a quinta mais baixa da UE

Greve dos estivadores do Porto de Setúbal.

Estivadores de Setúbal anunciam greves parciais mas poupam Autoeuropa

NOS/5G: Não usar rede da Huawei significa atraso de “pelo menos 2 anos”