Novo Banco precisava de mais 3,6 milhões de euros quando foi criado

O Novo Banco recebeu 4,9 mil milhões de euros em 2014, após a resolução do BES mas, de acordo com documentos internos, teriam sido precisos mais 3,6 mil milhões de euros, avança o Negócios.

O Novo Banco teria precisado de mais 3,6 mil milhões de euros quando arrancou a atividade, no verão de 2014, após a resolução do Banco Espírito Santo. A informação é avançada na edição desta segunda-feira do Negócios.

De acordo com documentos internos de trabalho do Novo Banco, indica o Negócios, o capital inicial que foi injetado no banco permitiu que cumprisse os requisitos mínimos exigidos para o rácio de capital total, de 8%.Na altura, o banco apresentou um rácio de 10,28%, numa base transitória.

De acordo com o jornal, o rácio recuaria para 5,85% caso não fosse aplicada a base transitória. Já então, tendo em conta as exigências regulatórias em vigor no ano de 2017 - com o mínimo a fixar-se nos 13,25% -, o Novo Banco precisaria de mais 3,6 mil milhões de euros para cumprir os requisitos exigidos, apurou o jornal.

No total, a instituição financeira teria precisado de uma injeção inicial de 8,5 mil milhões de euros para que pudesse estar até 2017 sem ser necessária uma nova capitalização.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de