Novo Banco reduz estruturas de topo em mais de 25%

Banco de transição aprovou também a separação entre a gestão de risco e o controlo de risco.

O Novo Banco reduziu em mais de 25% as estruturas de topo da instituição, numa primeira fase do Plano de Transformação, segundo o comunicado divulgado pelo banco.

O banco de transição reorganizou a estrutura na gestão de primeira linha, "passando das atuais 39 para 29, o que representa uma redução de 25,6% nas estruturas de topo do Banco".

"Este trabalho de simplificação realizou-se em várias áreas do banco, designadamente, nas áreas de marketing, comerciais e recuperação de crédito", acrescenta a informação divulgada.

"O Novo Banco aprovou ainda a segregação entre a Gestão de Risco e o Controle de Risco, tendo sido criada a figura de Chief Risk Officer (CRO), que ficará na dependência de membros não executivos do Conselho de Administração", medida que será implementada a 1 de janeiro de 2017.

Enquanto prossegue a reorganização o processo de venda do Novo Banco continua a decorrer, com a expectativa de ficar concluído até ao final do ano. Na venda direta há quatro interessados - BPI, BCP, Apollo/Centerbridge e Lonestar - e na venda em mercado estão na corrida os chineses do Misheng.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de