Novo Banco vai pedir 176 milhões ao Fundo de Resolução

A instituição bancária estima pedir mais 176 milhões de euros ao Fundo de Resolução para fazer face às perdas do legado do banco.

O Novo Banco prepara-se para pedir 176 milhões de euros ao Fundo de Resolução para cobrir as perdas com o legado do banco. "Em resultado das perdas verificadas na atividade legacy no valor de -493,7M€, que refletem a prossecução do processo de deleverage de créditos, imóveis e outras exposições legacy que estavam no balanço do Banco em 2016, o NOVO BANCO estima, a esta data e para este período de seis meses, um montante a receber de 176 milhões de euros ao abrigo do Mecanismo de Capitalização Contingente", pode ler-se no comunicado, relativo aos resultados do semestre, enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O Novo Banco teve prejuízos de 555,3 milhões de euros nos primeiros seis meses de 2020. Este valor representa um agravamento dos prejuízos face ao primeiro semestre do ano passado, época em que o banco liderado por António Ramalho obteve um resultado líquido negativo em 400,1 milhões de euros.

“O Grupo Novo Banco apresentou no 1º semestre de 2020 um resultado negativo de -555,3 milhões de euros, justificado em 91% pelas perdas de -260,6 milhões de euros resultado da avaliação independente aos fundos de reestruturação, – 138,3 milhões de euros de imparidade adicional para riscos de crédito decorrentes da pandemia COVID-19, -78,7 milhões de euros relacionados com a cobertura de risco de taxa de juro de títulos de dívida publica portuguesa e -26,9 milhões de euros de reforço da provisão para reestruturação”, pode ler-se no comunicado enviado pelo banco à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de