Telecomunicações

Nowo usa rede fibra da PT para expandir

Fotografia: Paulo Spranger/Global Imagens
Fotografia: Paulo Spranger/Global Imagens

A operadora liderada por Miguel Veiga Martins é, até agora, a única concorrente a aderir à oferta grossista da PT.

A Nowo já está a usar a oferta grossista da rede fibra da PT para expandir os seus serviços a nível geográfico. E até agora é a única. Nem a Nos, nem a Vodafone aderiram até ao momento à oferta que Mário Vaz apelidou de ‘restaurante pouco recomendável’.

“O acesso à rede de fibra da Meo está a ser alvo de negociações pelo que será prematuro avançar com quaisquer comentários adicionais”, adiantou fonte oficial da Nowo, quando questionada sobre para que regiões a empresa estava expandir oferta. “Os objetivos da Nowo passam por aumentar a sua cobertura de rede nas zonas adjacentes onde já está presente.”

Em setembro, altura em que a antiga Cabovisão apresentou a nova identidade, a Nowo definiu metas: em dois anos conquistar 10% de quota de mercado. Ou seja, mais entre 5 a 4 pontos percentuais, crescendo de 220 mil para entre 400 a 500 mil clientes. Para atingir esse objetivo, nos próximos 2/3 anos, a empresa deverá investir 30 milhões de euros.

O acesso à rede fibra da PT será uma forma de acelerar esse processo. A oferta comercial da operadora foi anunciada no primeiro trimestre de 2015 por Paulo Neves, mas alvo de severas críticas dos concorrentes. “O facto de haver uma ementa com preços não quer dizer que o restaurante seja recomendável”, reagiu Mário Vaz, CEO da Vodafone, que tem defendido que a Anacom deveria impor a abertura da rede fibra da PT aos concorrentes.

Em novembro a oferta grossista da PT foi “substancialmente revista e melhorada nos seus aspetos técnicos, processuais e comerciais”, informa a Anacom na deliberação onde decidiu não impor a abertura da rede fibra da PT e que está em consulta pública. A Nowo, embora estejam ainda a decorrer as negociações, já estava a aceder à rede, informa ainda a Anacom.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

1400 empresas já pediram para aderir ao novo lay-off, apoios só a 28 de abril

Antonoaldo Neves, presidente executivo da TAP. Fotografia: Adelino Meireles/Global Imagens

TAP também vai avançar com pedido de layoff

Veículos da GNR durante uma operação stop de sensibilização para o cumprimento do dever geral de isolamento, na Autoestrada A1 nas portagens dos Carvalhos/Grijó no sentido Sul/Norte, Vila Nova de Gaia, 29 de março de 2020. MANUEL FERNANDO ARAÚJO/LUSA

Mais de 80 detidos e 1565 estabelecimentos fechados

Nowo usa rede fibra da PT para expandir