Telecomunicações

Nowo/Oni reage à Altice. “Iniciou medidas legais” para salvaguardar reputação

Sede da Nowo, no Parque das Nações, em Lisboa
Sede da Nowo, no Parque das Nações, em Lisboa

A Altice avançou com um pedido de insolvência contra a Oni, invocando não pagamento de uma dívida de 6 milhões

O grupo Nowo/Oni vai agir legalmente contra a Altice, depois de a operadora dona do Meo ter avançado no Tribunal com um pedido de insolvência da Oni.

“O Grupo Nowo/Oni não se revê neste tipo de atuação perfilhada pela Altice Portugal e, suspeitando da motivação que a suporta, com o total apoio dos seus acionistas e demais stakeholders, já iniciou as medidas legais ao seu dispor para a salvaguarda da sua reputação e bom nome no mercado, assim como ao ressarcimento de todos os danos decorrentes da presente situação”, reagiu o grupo em comunicado.

Leia aqui a reação da Meo à posição da Nowo/Oni

A dona do Meo avançou para a justiça com um pedido de insolvência, invocando uma dívida de 6 milhões da Oni, segundo avançou ontem o Eco.

O grupo Nowo/Oni nega existirem problemas financeiros no grupo. “À presente data, o grupo Nowo/Oni apresenta uma situação líquida positiva reforçada por um aumento de capital efetuado no primeiro semestre de 2018, sendo que, ambas as empresas, Nowo e Oni, geram um cash flow operacional positivo, exibindo uma situação financeira estável”, garante o grupo, frisando que “sempre pautou a sua conduta comercial e operacional por elevados padrões éticos e total respeito pelas regras da sã concorrência, tendo o cuidado de cumprir as suas obrigações contratuais perante os seus fornecedores, parceiros de negócio e demais instituições com quem se relaciona”.

  1. “Em mais de 20 anos de atuação no mercado português e internacional, o Grupo Nowo/Oni nunca se deparou com uma atuação semelhante, de cariz atentatório da sua credibilidade comercial, por parte de um outro operador do mercado ou parceiro de negócios”, diz o grupo detido pelo francês francês Apax, que comprou a duas operadoras ao grupo Altice.
  1. “A atuação da Altice Portugal não pode de deixar de causar perplexidade quando o Grupo Nowo/Oni é um importante cliente dos seus serviços grossistas, podendo afirmar-se que, à presente data, existe um equilíbrio entre saldos vencidos reciprocamente”, assegura.

O grupo decidiu por isso avançar com procedimentos legais contra a Altice, lançando dúvidas sobre as reais motivações da operadora dona do Meo com esta iniciativa legal.

A Nowo, recorde-se, é representante dos direitos desportivos da Eleven Sports, entre os quais a Liga dos Campeões, para o mercado nacional, tendo estado a negociar com as operadoras Meo, NOS e Vodafone a colocação dos canais de empresa britânica na oferta televisiva das operadoras. As negociações decorrem desde junho, mas até ao momento, não é conhecido um acordo entre as partes.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
precários jovens licenciados

Jovens, precários e licenciados pagam ajustamento laboral da pandemia

Mealhada, 3/7/2020 -  O complexo Turístico Três Pinheiros, um espaço emblemático da Bairrada, apresentou um pedido de insolvência  na sequência das quebras provocadas pela pandemia de Covid-19.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Mais insolvências e menos novas empresas em julho

Uma funcionária transporta máscaras de proteção individual na fábrica de confeções Petratex, em Carvalhosa, Paços de Ferreira, 27 de abril de 2020. HUGO DELGADO/LUSA

Mais de 60% dos “ausentes” do trabalho são mulheres

Nowo/Oni reage à Altice. “Iniciou medidas legais” para salvaguardar reputação