luxo

O calçado vegan inspirado na orca Lolita

Todos os sapatos da coleção são fabricados com peles sintéticas, amigas do ambiente. (DR)
Todos os sapatos da coleção são fabricados com peles sintéticas, amigas do ambiente. (DR)

Patrícia Correia, designer de São João da Madeira, lança calçado de alta qualidade em materiais sintéticos.

Lolita, a orca do oceanário de Miami, serviu de inspiração à nova coleção de calçado vegan de luxo Patrícia Correia, dando nome ao primeiro par de sandálias produzido pela designer de São João da Madeira, filha e neta de industriais de calçado. A marca chama-se Patrícia Correia e está à venda online. É a concretização de um projeto sucessivamente adiado ao longo de dez anos.

Mas o que têm em comum a orca e as sandálias Lolita? Tudo. “O meu filho, Afonso, de 9 anos, veio um dia contar-me a história de uma orca há 47 anos em cativeiro, num aquário minúsculo e sem nenhum outro animal da sua espécie para socializar. E estava muito triste porque gostava de salvar a Lolita, mas sabia que isso jamais seria possível. Como mãe, senti que era meu dever alimentar os sonhos do meu filho e provar-lhe que qualquer pessoa pode fazer algo grandioso. Prometi ao Afonso que iria mostrar a Portugal que a Lolita existe. Da única forma que sei, fazendo sapatos”, explicou ao Dinheiro Vivo.
A jovem empresária não se ficou, apenas, pela sandália Lolita, mas avançou com toda uma marca de sapatos vegan, produzidos em materiais sintéticos de elevada qualidade. O fabrico está a cargo da Helsar, a empresa da família em São João da Madeira, cuja marca correu mundo quando se soube que Carol e Pippa Middelton usaram sapatos aí produzidos no casamento real britânico.

Veja, também, Helsar. Os sapatos de princesa querem chegar às arábias

“O que existe de calçado sintético no mercado são sapatos muito baratos ou marcas vegan, mas que são muito alternativas. Não são sapatos chiques, para serem usados por uma noiva ou para ir a uma cerimónia como a entrega dos Óscares”, diz Patrícia Correia. Tal como a sandália Lolita, todos os sapatos desta coleção são fabricados com peles sintéticas, amigas do ambiente. Sapatos intemporais, cujo preço médio varia entre os 80 e os 149 euros.

“Não quero fazer o que toda a gente faz, quero fazer diferente. Quero criar sapatos chiques, sexies, que ninguém acredite que são vegan. O meu objetivo é cativar todo o tipo de clientes que gostam de animais e que se sentem incapazes de sacrificar mais uma vaca para terem uns sapatos de qualidade, acrescenta.
Patrícia Correia garante que os seus sapatos não ficam a dever nada aos de peles naturais. Pelo contrário. “As peles têm tratamentos químicos que contêm chumbo e que, por muito pequenas quantidades que sejam, são absorvidas pelo pé. Eu comecei a desenvolver sapatos sintéticos pensando na minha saúde e foi daí que tudo cresceu”, diz. A empresária garante usar peles sintéticas que “não se riscam e duram imenso”, bem como forros antibacterianos.

Para já, a nova coleção pode ser comprada apenas online, mas “se houver alguma loja que queira ter o meu calçado, claro que estamos disponíveis. Mas o mercado ainda está a acordar para este tipo de sapatos”. O mais curioso é que as principais compradoras do calçado Patrícia Correia não são mulheres vegan, mas apenas consumidoras conscientes e preocupadas. “O conceito de não querer sacrificar os animais pela moda está a resultar muito bem, tal como eu previa”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ilustração: Vítor Higgs

Azeites e vinhos portugueses escapam a castigo de Trump

Ilustração: Vítor Higgs

Azeites e vinhos portugueses escapam a castigo de Trump

(REUTERS/Kevin Coombs)

Acordo para o brexit com pouco impacto para Portugal

Outros conteúdos GMG
O calçado vegan inspirado na orca Lolita