Tecnologia

Bill Gates: O meu maior erro? “Não ter criado o Android”

bill gates android

"The winner takes it all" ou, em português: o vencedor leva tudo. E no mundo dos sistemas operativos móveis, o vencedor é o Google, diz Bill Gates.

O co-fundador da Microsoft Bill Gates revelou que o seu “maior erro de sempre” foi não ter criado o primeiro sistema operativo móvel do mundo “não-Apple”: o Android.

A Microsoft esmagou a Apple no início dos anos 80 e 90, mas sua sorte no final dos anos 90 e início dos anos 2000 mudou. Bill Gates culpa parcialmente os problemas da tecnológica com forma como lidou com o Windows nos anos 90 ao permitir que o Google se lançasse nos dispositivos móveis.

“O maior erro de todos é o erro que eu cometi que fez com que a Microsoft não fosse o Android. O Android é a plataforma telefónica padrão – plataforma “não-Apple”. Isso era algo natural para a Microsoft vencer “, disse Bill Gates num evento organizado por uma empresa de capital de risco dos Estados Unidos, escreve a ZD Net.

O Google lançou o Android há apenas 10 anos e tem hoje mais de dois mil milhões de utilizadores ativos mensais, mais que o dobro do número de utilizadores do Windows 10 e muito mais do que 1,5 mil milhões de utilizadores do Windows.

A Microsoft esmagou a empresa da maçã na área dos computadores, com o Windows. Mas, a companhia de Bill Gates deixou passar a oportunidade de entrar no mundo móvel com o lançamento do iPhone. O então CEO da Microsoft, Steve, Ballmer, considerou na altura o iPhone como “o telefone mais caro do mundo” e que “não era apelativo para os consumidores porque não tinha teclado”. Mais tarde, elogiou a Apple pelo seu “modelo de subsidiar telefones através das operadoras”.

“É realmente a teoria de que o vencedor leva tudo”, disse Bill Gates. “E é incrível para mim ter cometido um dos maiores erros de todos os tempos. Temos outros ativos como o Windows e o Office que ainda são muito fortes. Por isso somos uma empresa líder, mas se tivéssemos ido pelo caminho certo, seríamos a empresa líder”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
boris johnson brexit

Brexit: Um acordo que responde “às circunstâncias únicas da Irlanda”

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Outros conteúdos GMG
Bill Gates: O meu maior erro? “Não ter criado o Android”