mercado automóvel

Observador Cetelem prevê subida marginal das vendas de carros

Fotografia: D.R.
Fotografia: D.R.

Portugal deverá contrariar quebra de mercado prevista para a Europa. A nível mundial, motores a gasóleo vão perder cada vez mais peso.

As vendas de automóveis ligeiros em Portugal deverão aumentar 0,7% em 2019, para 230 000 unidades. Esta é a previsão do estudo Observador Cetelem, que perguntou a 500 portugueses as perspetivas para o mercado de veículos deste ano.

O inquérito refere que Portugal, Espanha e Eslováquia serão os três dos 13 países analisados que vão registar uma melhoria do mercado automóvel de ligeiros em 2019.

“O mercado europeu atingiu em 2018 valores similares ao contexto pré-crise de 2008, com cerca de 16 milhões de veículos novos vendidos a particulares. A recessão nas vendas de veículos a privados parece atingir países com grande tradição no setor, como o Reino Unido ou Itália. Mas o mercado automóvel de particulares em Portugal também não sai ileso, pelo que, depois do crescimento registado em 2018, deveremos assistir a uma estabilização nas vendas”, refere Pedro Nuno Ferreira, diretor automóvel da Cetelem, citado em nota de imprensa.

O estudo refere também as preferências dos consumidores por tipos de combustível. Na Europa, os motores a gasolina já reúnem a maioria dos gostos: a quota de mercado desta motorização chegou aos 54% em 2018; ao mesmo tempo, a quota de mercado dos veículos a gasóleo caiu para 40% no ano passado e vai baixar quatro pontos percentuais este ano. Os motores híbridos reúnem a preferência de 5% dos consumidores; os elétricos só têm 1%.

Portugal, no entanto, é o pais da Europa Ocidental em que mais se acredita no futuro dos carros elétricos, com 92% das preferências. Só que os consumidores portugueses reclamam mais incentivos públicos para a compra destes veículos

 

 

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Imagem DVfinal

Uma ideia para o futuro de Portugal

José Galamba de Oliveira, presidente da Associação Portuguesa de Seguradores. (PAULO SPRANGER/Global Imagens)

“Catástrofes mais frequentes vão tornar os seguros mais caros”

(Joao Silva/ Global Imagens)

Transição das rendas antigas acaba. Cem mil famílias vão pagar mais

Outros conteúdos GMG
Observador Cetelem prevê subida marginal das vendas de carros