Oi confirma conversas com China Telecom para possível aumento de capital

A operadora brasileira tem uma dívida de 65 mil milhões de reais (18,1 mil milhões de euros) e está sob proteção judicial desde junho de 2016.

A Oi, a operadora brasileira que tem a Pharol como principal acionista, confirmou na sexta-feira que está em negociações com a China Telecom para um possível aumento de capital. As duas empresas assinaram um acordo de confidencialidade sobre o plano de recuperação.

"Está muito no início e ... é um acordo para ela (China Telecom) fazer análise e decidir o interesse deles na Oi. Uma das possibilidades é participarem (do aumento de capital da Oi)", adiantou Ricardo Malavazi, diretor financeiro da Oi, após um encontro com jornalistas e investidores no Rio de Janeiro. O acordo não tem prazo de conclusão, acrescentou o mesmo responsável em declarações citadas pela Reuters.

Prevê-se que a Oi realize um aumento de capital de pelo menos oito mil milhões de reais (2,1 mil milhões de euros). Para isso, têm decorrido várias conversações com potenciais investidores. Segundo o jornal Valor Econômico, os norte-americanos do Texas Pacific Group também poderão participar na operação. Segundo a revista brasileira Exame, os fundos Cerberus e Elliot também já demonstraram interesse.

O principal entrave à entrada de novos acionistas está relacionado com o impasse dos créditos da reguladora de telecomunicações brasileira (Anatel), recorda o jornal Estado de São Paulo. Na quinta-feira, um tribunal do Rio de Janeiro decidiu que as dívidas da Oi à agência devem ser incluídas no plano de recuperação judicial, ao contrário do que pedia o regulador. No plano de recuperação judicial a Oi reconhece dívidas de 11 mil milhões de reais à Anatel.

A operadora brasileira tem uma dívida de 65 mil milhões de reais (18,1 mil milhões de euros) e está sob proteção judicial desde junho de 2016. A empresa precisa de apresentar o novo plano de recuperação aos credores até quarta-feira. O documento será votado em assembleia geral marcada para 9 de outubro. Caso não haja quórum, haverá nova tentativa no dia 23.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de