Telecomunicações

Brasileira Oi com prejuízos de 895 milhões de euros no segundo trimestre

Operadora apresenta prejuízos

Operadora aponta desvalorização do real face ao euro e ao dólar para a subida nos prejuízos.

A Oi registou no segundo trimestre prejuízos consolidados de 3,3 mil milhões de reais, cerca de 895 milhões de euros, comunicou a operadora brasileira ao mercado. Uma subida negativa de 302% face a igual período do ano passado. A portuguesa Pharol é a maior acionista, com 25,2%.

“O prejuízo reflete impacto do câmbio no resultado financeiro, uma vez que a Oi encerrou as suas operações de hedge em função da recuperação judicial”, justifica a operadora.

As receitas líquidas totais no período foram de 5,839 mil milhões de reais (1,5 mil milhões de euros), com o EBITDA a fixar-se nos 1,617 mil milhões de reais (438 milhões de euros).

A Oi destaca a redução de 687 milhões de reais (186 milhões de euros) no trimestre, totalizando um corte de despesa de 1,2 mil milhões de reais (325 milhões de euros) no primeiro semestre.

A dívida líquida da empresa fixou-se nos 44,499 mil milhões de reais (12 mil milhões de euros), um crescimento de 9,6%, devido ao crescimento da dívida bruta na ordem do 51,9 mil milhões de reais, devido à desvalorização do real face ao dólar e ao euro, justifica a companhia.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O sismo da Terceira de 1980
(Arquivo DN)

Risco de sismo é real. Seguradores querem fundo prioritário no próximo governo

O sismo da Terceira de 1980
(Arquivo DN)

Risco de sismo é real. Seguradores querem fundo prioritário no próximo governo

João Galamba, Secretário de Estado da Energia 
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

João Galamba: “Há diferença entre encontrar rendas excessivas e cortá-las”

Outros conteúdos GMG
Brasileira Oi com prejuízos de 895 milhões de euros no segundo trimestre