Óleo alimentar vira detergente ecológico

Portuguesa EcoXperience reivindica ser a única no mundo a fazer este tipo de conversão. Vendas deverão crescer 60% num ano

Depois de submetidos a vários processos físicos e químicos cujas fórmulas são a alma do negócio, os óleos alimentares usados em restaurantes, ou em casa, transfiguram-se para uma nova vida e passam a detergentes de limpeza, para uso doméstico ou industrial, desde a lavagem de roupa, louça, chão, vidros... A descoberta da tecnologia que viabiliza a transformação de um produto noutro coube à EcoXperience - ou apenas Ecox, para os amigos.

A EcoXperience foi criada em 2016, era então uma startup alojada na Universidade de Coimbra. O êxito e a necessidade de crescimento conjugaram-se e a unidade acabou por ser integrada no grupo MSTN , do qual faz também parte a Mistolin, empresa fundada em 1992, em Vagos, ligada à produção de soluções de higiene e bem-estar.

Os óleos alimentares são recolhidos, transformados, reciclados e valorizados até chegarem a detergentes, e são então colocados no mercado com o apoio de vários parceiros, incluindo a Mistolin, explica César Henriques, sócio fundador da Ecox.

A matéria prima é recolhida em cerca de 150 restaurantes e noutros 150 pontos diversificados, que envolvem parceiros da atividade, câmaras municipais, escolas e particulares. O gestor conta que até há acordos com restaurantes onde, em troca dos óleos usados, recebem os detergentes de limpeza, com um desconto, calculado em função da dimensão e quantidade dispensada.

Poupar o planeta
"Somos a única empresa no mundo a transformar óleos alimentares usados em detergentes ecológicos, ou seja, criamos um produto novo sem extrairmos recursos do planeta, usamos um resíduo para obter um detergente altamente biodegradável", destaca César Henriques, para assinalar o que distingue os seus artigos da concorrência, "além de serem tão ou mais eficazes que os que estão no mercado".

Neste momento, o capital da EcoXperience está repartido por César Henriques e mais três sócios que também estiveram na origem da empresa, além do grupo MSTN. Dão emprego a cinco pessoas a tempo inteiro.

Das linhas de produção saem 14 produtos de limpeza doméstica e profissional, cada um com várias volumetrias, para serem vendidos em 150 pontos em Portugal (incluindo ilhas) e em Espanha, e também com expedição direta via online. Por agora, a exportação ainda fica abaixo dos 10%, mas a ideia é, como avança César Henriques, "alargar os parceiros a nível nacional e investir mais em Espanha, mas sobretudo, expandir para a Europa Central e do Norte".

O objetivo é mesmo fazer crescer as vendas acima de 60% no próximo ano, uma ambição fundamentada "na expansão que têm tido", argumenta o empresário.

A título complementar, a empresa refere que todos os dias são geradas em Portugal "cerca de 150 toneladas de óleos alimentares usados" e só metade é valorizada. A outra parte representa "um dano para o ambiente" e um "peso financeiro para os municípios, estimado em 300 milhões de euros, para remover esses detritos das Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR)".

Travar essa poluição - já que "um litro de óleo é capaz de contaminar 1 milhão de litros de água" - é um compromisso da EcoXperience para reduzir a quantidade de embalagens que todos os anos vão para o lixo. Daí a aposta na venda dos detergentes a granel, uma solução que já lhe permitiu "poupar até agora 40 mil embalagens de um litro, de uso único".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de