Nowo

Oni e Nowo concentram operações em Lisboa

Sede da Nowo, no Parque das Nações, em Lisboa
Sede da Nowo, no Parque das Nações, em Lisboa

As duas operadoras detidas pelos fundos Apax e Fortino Capital passam a partir de outubro a partilhar as mesmas instalações no Parque das Nações.

A Oni e a Nowo (ex-Cabovisão) vão concentrar as operações em Lisboa, sabe o Dinheiro Vivo.

As duas operadoras detidas pelos fundos Apax France e Fortino Capital passam a partir de outubro a partilhar as mesmas instalações no Parque das Nações, de acordo com nota interna a que o Dinheiro Vivo teve acesso. A mudança está prevista para 24 de outubro.

“Este é um movimento fundamental para unificar as equipas, permitindo-nos atuar como um grupo, mais forte e mais integrado, com benefícios claros para ambas as empresas. A escolha do Parque das Nações para a localização da nossa sede teve em conta não só o facto de ter boas acessibilidades como também querermos que a Nowo e a ONI estejam associadas a valores de modernidade e inovação tecnológica”, justifica a empresa na nota enviada aos colaboradores.

“Para o novo edifício sede transitarão as áreas não técnicas — marketing e áreas comerciais, financeira e recursos humanos. O grupo disporá ainda de dois outros edifícios, de cariz mais tecnológico, um na Matinha e o outro em Palmela, os quais alojarão as nossas equipas técnicas, esperando que a sua redistribuição fomente igualmente uma visão de conjunto para as infraestruturas e serviços tecnológicos do nosso grupo”, continua o documento

A mudança surge depois da compra da antiga Cabovisão (hoje Nowo) e da Oni pelos fundos Apax França e Fortino Capital. Até aqui as duas companhias tinham sede em Palmela e Lisboa, passando, agora, a estar juntas no Edifício Lisboa, no Parque das Nações.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
lisboa casas turismo salarios portugal

Taxa de juro do crédito à habitação cai para 1%

Lisboa, 18/02/2020 - Plenário da Assembleia da República - Debate quinzenal com o primeiro ministro.
Primeiro Ministro António Costa com os restantes ministros que compõem o governo.
Jerónimo de Sousa - PCP
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Jerónimo avisa Costa que “sem aumentos salariais” os “problemas vão aumentar”

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos (C), acompanhado pelo ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno e pelo presidente da CP, Nuno Freitas (E), na assinatura do contrato de serviço público entre o Estado e a CP, na Estação do Rossio, em Lisboa, 28 de novembro de 2019. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

CP escapa a multas por atraso no contrato de serviço público

Oni e Nowo concentram operações em Lisboa