ONU: Quatro agências lançam programa para capacitar mulheres rurais

Quatro agências das Nações Unidas lançam hoje um programa conjunto para capacitar, do ponto de vista económico e alimentar, as mulheres pobres das zonas rurais.

O Programa Alimentar Mundial (PAM), a Organização para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e o Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (IFAD), todos baseados em Roma, e a agência ONU Mulheres vão trabalhar em conjunto no programa “Acelerar o progresso para a capacitação económica das mulheres rurais”, que será apresentado hoje, em Nova Iorque.

“As mulheres rurais contribuem decisivamente para as economias mundiais, desempenhando um papel fundamental tanto nos países desenvolvidos, como nos países em desenvolvimento”, justificam as quatro agências, em comunicado.

Nas suas comunidades, as mulheres podem ser motores de desenvolvimento rural e agrícola, de maior segurança alimentar e de redução da pobreza, acrescentam, realçando que “em algumas partes do mundo, as mulheres representam 70% da força de trabalho agrícola”.

As principais dificuldades que estas mulheres enfrentam decorrem de discriminações de género e de obstáculos ao acesso ao crédito, à educação e aos cuidados de saúde, enumeram as quatro agências.

O programa conjunto, que terá uma duração de cinco anos, será posto em prática em sete países: Etiópia, Guatemala, Quirguistão, Libéria, Nepal, Níger e Ruanda.

A sessão de lançamento, marcada para hoje, contará com a presença, entre outras personalidades, de Ellen Johnson Sirleaf, Presidente da Libéria; Michelle Bachelet, diretora executiva da ONU Mulheres e ex-Presidente do Chile; Melanne Verveer, embaixadora da secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, para as questões de género: e José Graziano da Silva, diretor-geral da FAO.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, acompanhado pelo ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos (Foto: Mário Cruz/Lusa)

Recuperar poder de decisão na TAP obriga Estado a pagar mais

Humberto Pedrosa é o acionista do consórcio Gateway.

TAP: Humberto Pedrosa realça a não nacionalização da empresa

Fotografia: Regis Duvignau/Reuters

TAP: Sindicato do Pessoal de Voo espera que acordo proteja postos de trabalho

ONU: Quatro agências lançam programa para capacitar mulheres rurais