empreendedorismo

Onze projetos apoiados na 3ª aceleração da Startup Braga

No final da aceleração há um Demoday em que é anunciado o vencedor do investimento da Caixa.
No final da aceleração há um Demoday em que é anunciado o vencedor do investimento da Caixa.

Onze empresas recém-nascidas iniciam hoje o terceiro programa de aceleração da Startup Braga.

Onze empresas recém-nascidas iniciam hoje o terceiro programa de aceleração da Startup Braga. Durante quatro meses, as empresas terão acesso ao apoio intensivo de especialistas internacionais das respetivas áreas, entre os quais os 52 parceiros da Rede Microsoft Ventures, além dos mentores da instituição.

Uma das equipas selecionadas para a única edição de 2016 deste programa é dinamarquesa e as restantes são portuguesas, de áreas de atividade ligadas a tecnologias inovadoras no âmbito Web, Mobile, Internet Of Things (IOT) e Medtech.

No final, uma das equipas será apoiada com 100 mil euros de investimento por parte da Caixa Capital, outra das instituições que apoia o programa minhoto com ambições globais. “A Startup Braga é mas do que uma aceleradora. Prepara as empresas para se tornarem globlais desde o primeiro dia”, explica Stephen Morais, da Caixa Capital.

Este ano, as startups selecionadas terão, ainda, a possibilidade de integrarem um roadshow pelos Estados Unidos.

Que inovações trazem as startup?

O dia de arraque do programa de aceleração é, também, o dia de apresentação das empresas participantes a potenciais investidores, bem como a todos os parceiros do programa. Qual o “pitch” de cada uma?

Wildsmile

“Construir sorrisos globais, desbloqueando o acesso à saúde dentária” é o tweet desta startup de Francisco Santos Meireles, cuja ambição é ligar todos os serviços ligados à saúde dos dentes aos respetivos pacientes, facilitando o acesso. Para tal, uma plataforma online permitirá gerir a adesão a planos dentários que promovem a saúde, tratamentos e consultas, quer dos doentes, quer dos médicos.

Mindprober

Pedro Chaves concebeu uma plataforma online baseada na nuvem para as empresas medirem, em tempo real e a baixo custo, as métricas de publicidade e presença online das empresas, das agências ou de partidos políticos. O negócio irá arrancar com a venda de períodos de tempo para testar conteúdos e criar relatórios de benchmark.

Bloodtype analyzer
“Uma forma rápida e simples de realizar testes pré-transfusão especialmente em situações de emergência” é como Ana Ferraz resume o projeto que está a ser acelerado na Startup Braga. O teste portátil demora menos de cinco menos a fornecer resultados fundamentais em cenários de emergência e em locais com falta de estruturas de saúde para o realizar. O objetivo é vender o produto aos serviços modernos de saúde para ser incluído em ambulâncias e outros veículos de emergência.

KIDE Curated Fashion (K)
Nuno Pinto quer implementar uma plataforma móvel e online que apresenta as melhores e mais exclusivas criações de designers para vestir os mais pequenos, criando uma experiência de compras fácil e divertida para os consumidores, num mercado (online) que vale, globalmente, mais de dois mil milhões de euros.

Helppier
Um serviço online que permite criar guias interativos personalizados para sites empresariais e aplicações. Hugo Magalhães refere que a criação de tais guias é geralmente dispendiosa para as empresas e os conteúdos são fracos. Com mil milhões de websites como mercado, o negócio poderá desenvolver-se através de três planos de preços para o software ou a prestação de serviços em empresas maiores.

Prodsmart
Destinado às indústrias transformadoras, o sistema Prodsmart permite analisar a performance da produção em tempo real, sendo baseado na nuvem e ligado às próprias máquinas das empresas (Internet of Things). Gonçalo Fortes aponta para o mercado de médias e grandes empresas como potenciais clientes do sistema de software.

MagikBee
“Fazer a ligação entre o jogo físico e o digital” é a proposta de Pedro Branco para um kit que contém blocos mágicos e uma aplicação que faz a ligação ao iPad. Na prática, a criança irá brincar com o iPad e com os blocos físicos, eliminando as preocupações de pais e educadores quanto às horas excessivas que os miúdos dedicam, hoje em dia, a aparelhos eletrónicos.

By Cool World
A proliferação de informação turística nem sempre ajuda os turistas e viajantes, acabando por complicar-lhes a vida. Por isso é que precisam desta aplicação, capaz de selecionar apenas a melhor informação e guia de cada cidade de acordo com as preferências do utilizador. Júlia Vilaça espera retorno a partir dos anúncios, de comissões, de conteúdo e até do franchising do negócio que pode ser útil a destinos turísticos e espaços comerciais.

Homeit
Quem tem de gerir múltiplas propriedades para acolher hóspedes ou turistas precisa deste sistema de gestão centralizado, alojado na internet, que lhe permite abrir portas à distância através do telemóvel ou do computador. André Roque é o promotor da ideia que espera ser útil a mais de dois milhões de propriedades registadas no Airbnb e outros. O serviço será vendido por subscrição mensal.

ezconferences
“O site e aplicação da sua conferência em apenas 60 segundos” é a proposta de Tiago Sousa. O empreendedor concebeu uma forma de qualquer pessoa conseguir desenvolver um site e uma aplicação sem conhecimentos de programação e sem programas complicados, dispensando a contratação de técnicos informáticos.

Fresh.Land
A dinamarquesa Mathilde Jakobsen desenvolveu uma solução de informação para a cadeia de fornecimento alimentar, desde o agricultor até à loja, dispensando o intermediário. Como é isto? A plataforma online permite aos compradores adquirir os produtos diretamente ao produtor, inclusive transporte, o que permitirá aos consumidores ter acesso a produtos em três dias, em vez dos atuais quatro a 12 meses.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
IMG_0868-min

Agricultura bate recordes no Alentejo. “Mais houvesse, mais se vendia”

Isaltino Morais, presidente da Câmara de Oeiras
Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens

Isaltino Morais “Nos próximos anos, Oeiras vai precisar de 12 500 engenheiros”

Aeroporto do Montijo 2

Portela+? Aquilo que separa os partidos, o Montijo não consegue unir

Outros conteúdos GMG
Onze projetos apoiados na 3ª aceleração da Startup Braga