Telecomunicações

Operadora Oi regressa ao prejuízo com 279 milhões no 2.º trimestre

REUTERS/Paulo Whitaker
REUTERS/Paulo Whitaker

A operadora brasileira Oi, da qual a portuguesa Pharol é acionista, regressou aos prejuízos no segundo trimestre do ano.

A operadora brasileira Oi, da qual a portuguesa Pharol é acionista, regressou aos prejuízos no segundo trimestre do ano, registando um resultado líquido negativo de 1.233 milhões de reais (278,8 milhões de euros), anunciou a empresa.

Este resultado segue-se ao lucro de 30.526 milhões de reais (6.9 milhões de euros) obtido nos primeiros três meses do ano e compara com o prejuízo de 4.162 milhões de euros do segundo trimestre de 2017, segundo um comunicado divulgado pela Oi na sua página na Internet.

Considerando o acumulado do primeiro semestre de 2018, a operadora de telecomunicações registou um resultado líquido positivo de 29.293 milhões de reais (6.623 milhões de euros), após um prejuízo de 4.350 milhões de reais (983,6 milhões de euros) no semestre homólogo.

Na base do prejuízo registo de abril a junho estiveram um resultado financeiro líquido negativo de 1.199 milhões de reais (271,1 milhões de euros, que compara com um resultado positivo de 30.179 milhões de reais, ou 6.823 milhões de euros, no primeiro trimestre) e uma despesa de Imposto de Renda e Contribuição Social de 162 milhões de reais (36,6 milhões de euros).

No que se refere à dívida líquida, aumentou 37,1% no segundo trimestre face ao trimestre anterior, para 10.021 milhões de reais (2.265 milhões de euros), ficando ainda assim muito aquém (-77,5%) dos 44.499 milhões de reais (10.061 milhões de euros) do trimestre homólogo.

Já o EBITDA (resultados antes de impostos, juros, amortizações e depreciações) aumentou para os 1.719 milhões de reais (388,6 milhões de euros), face aos 1.572 milhões de reais (355,4 milhões de euros) do primeiro trimestre e aos 1.480 milhões de reais (334,6 milhões de euros) do trimestre homólogo.

De abril a junho, a margem EBITDA alcançou os 31%, melhorando face aos 27,7% registados no trimestre anterior e aos 25,4% do trimestre homólogo.

Em termos semestrais, o EBITDA aumentou dos 3.135 milhões de reais (708,8 milhões de euros) dos primeiros seis meses de 2017 para 3.291 milhões de reais (744,1 milhões de euros) no mesmo período de 2018.

No comunicado de divulgado dos resultados, a Oi destaca a “continuidade na melhoria de eficiência operacional e controle rígido de custos”, com a companhia a reduzir os custos em 256 milhões de reais (57,9 milhões de euros, -6,1%) no segundo trimestre, em termos homólogos, e em 575 milhões de reais (130 milhões de euros) no acumulado até junho.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(REUTERS/Kevin Coombs)

Acordo para o brexit com pouco impacto para Portugal

Manifestante contra o Brexit junto ao Parlamento britânico. (REUTERS/Hannah Mckay )

P&R. O que acontece com o acordo do Brexit?

O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, e o ministro das Finanças, Mário Centeno. Foto: TIAGO PETINGA/LUSA

Mais 600 milhões em investimento público, mas país não sai do fundo da tabela

Outros conteúdos GMG
Operadora Oi regressa ao prejuízo com 279 milhões no 2.º trimestre