Os 100 melhores CEO deste ano

Os 100 melhores CEO do mundo
Os 100 melhores CEO do mundo

O legado de um CEO pode ser duradouro e a melhor prova disso foi a eleição de Steve Jobs como o melhor CEO do mundo pela Harvard Business Review, que o Dinheiro Vivo tem o exclusivo para Portugal.

A publicação norte-americana elegeu os melhores CEO tendo em conta dois aspectos: A valorização em bolsa e os dividendos pagos aos accionistas.

Apesar de ter falecido em 2011, Steve Jobs foi eleito como o melhor CEO das duas últimas décadas. Entre 1997 e 2011, a Apple valorizou 359 mil milhões de dólares no mercado, com os seus accionistas a receberem dividendos na ordem dos 35% do crescimento anual. A acompanhar Jobs no pódio está Jeff Bezos da Amazon. Sob a sua liderança a retalhista online valorizou 111 mil milhões de dólares em bolsa, com as vendas a aumentarem uns impressionantes 40% em 2011. A fechar o pódio está Yun Jong-Yong da Samsung, com os dividendos da empresa a recompensar os accionistas de forma generosa, que ganhou mais de 128 mil milhões de dólares em bolsa entre 1996 e 2008.

Os 100 melhores CEO do Mundo

1. Steve Jobs – Apple – 1997-2011 – Capitalização

bolsistas mais de 359 mil milhões de dólares.

2. Jeff Bezos – Amazon – Desde 1996 – Capitalização bolsista de mais de 111 mil milhões de dólares

3. Yun Jong-Yong da Samsung, Coreia do Sul. Esteve no cargo entre 1996 e 2008. A capitlização bolsista foi de mais de 128 mil milhões de dólares.

4. Roger Agnelli da Vale, Brasil. No cargo entre 2001 e 2011, o CEO da empresa industrial obteve uma capitalização bolsista de mais de 157 mil milhões de dólares.

5. John C. Martin, da Gilead Sciences, Estados Unidos. No cargo desde 1996, o CEO da farmacêutica obteve uma capitalização bolsistas de mais de 51 milhões de dólares.

6. Chung Mong-Koo da Hyundai Motor Company, Coreia do Sul. Mong-Koo lidera a construtora automóvel desde 1999, tendo obtido uma capitalização bolsistas de 48 mil milhões de dólares desde então.

7. Y.C. Deveshwar da ITC, Indía. O líder da empresa de bens de consumo ocupa o cargo desde 1996 e obteve 45 mil milhões de dólares de valorização em bolsa.

8. David Simon do Simon Property Group, Estados Unidos. A liderar a empresa de serviços financeiros desde 1995, Simon já obteve ganhos no valor de 47 mil milhões de euros.

9. Margaret C. Whitman da eBay, Estados Unidos. No cargo durante dez anos, entre 1998-2008, a CEO do site de leilões obteve uma valorização de 40 mil milhões de dólares.

10. John T. Chambers da Cisco Systems, Estados Unidos. Chambers lidera a tecnológica desde 1995, tendo obtido 143 mil milhões de capitalização.

11. Maurício Novis Botelho da Embraer, Brasil. O líder da empresa industrial obteve ganhos de 23 mil milhões de dólares entre 1995 e 2007.

12. William J. Doyle da PotashCorp, Canadá. No cargo desde 1999, Doyle obteve até à data uma capitalização de 38 mil milhões.

13. Subir Raha da Oil & Natural Gas, Índia. No cargo entre 2001 e 2006, o CEO da energética obteve ganhos no valor de 57 mil milhões de dólares.

13. Mikhail Prokhorov da Norilsk Nickel, Rússia. O líder da empresa de materiais entre 2001 e 2007 obteve ganhos de 48 mil milhões de dólares enquanto esteve no cargo.

15. José Antonio Fernández Carbajal da FEMSA, México. Carbajal ocupou o cargo de CEO da empresa de bens de consumo entre 1995 e 2008, quando obteve ganhos de 26 mil milhões de dólares.

16. Graham Mckay da SABMiller, Reino Unido. O líder da empresa de bens de consumo obteve ganhos de 70 mil milhões de dólares desde 1997.

17. Li Jiaxiang da Air China, China. No cargo entre 2004 e 2008, o CEO da transportadora aérea obteve ganhos no valor de 37 mil milhões de dólares.

18. Daniel Hajoi Aboumrad da América Móvil, México. Líder da empresa de telecomunicações desde o ano 2000, Aboumrad já obteve ganhos de 87 mil milhões de dólares.

19. Mark G. Papa da EOG Resources, Estados Unidos. A liderar a energética desde 1998, Papa já obteve uma valorização no valor de 25 mil milhões de dólares.

20. Lars Rebien Sorensen da Novo Nordisk, Dinamarca. Nordisk ocupa o cargo da farmacêutica desde o ano 2000, tendo obtido uma capitalização bolsista na ordem dos 64 mil milhões de dólares.

21. Lew Frankfort da Coach, Estados Unidos. Coach obteve uma capitalização bolsista de 20 mil milhões de dólares desde que assumiu as rédeas da empresa em 1995.

22. Hugh Grant da Monsanto, Estados Unidos. O líder da multinacional agrícola está no cargo desde 2003 e obteve até agora 45 mil milhões de dólares de capitalização de mercado.

23. Paolo Rocca da Tenaris, Argentina. Rocca assumiu o cargo desde 2002 e já obteve uma valorização de 26 mil milhões de dólares para a energética,

24. Renato Alves Vale da CCR, Brasil. O líder do grupo CCR ocupa o cargo desde 1999 e já ajudou a obter uma capitalização no mercado de 19 mil milhões de dólares.

25. Paul Chisholm da Colt Telecom Group, Reino Unido. Chisholm ocupou o cargo entre 1996 e 2011 e obteve ganhos bolsistas no valor de 20 mil milhões de dólares para a empresa de telecomunicações.

26. David E.I. Pyott da Allergan, Estados Unidos. Pyott é CEO da farmacêutica desde 1998 e já obteve ganhos bolsistas no valor de 25 milhões de dólares.

27. Djalma Bastos de Morais da Companhia Energética de Minas Gerais, Brasil. Morais é CEO da CEMIG desde 1999 e ajudou a obter ganhos uma valorização no valor de 22 mil milhões de dólares.

28. Mukesh Dhirubhai Ambani da Reliance Industries, Índia. Ao leme da energética desde 2002, Ambani levou com que a empresa valorizasse 41 mil milhões em bolsa.

29. Manoel Arlindo Zaroni Torres da Tractebel Energia, Brasil. A energética valorizou 18 mil milhões de euros desde 1999, ano em que Torres assumiu o cargo.

30. Mark Donegan da Precision Castparts, Estados Unidos. No cargo desde 2002, Donegan já ajudou a obter uma valorização no valor de 21 mil milhões.

31. William E. Greehey da Valero Energy, Estados Unidos. A empresa valorizou 36 mil milhões de dólares entre 1997 e 2005, anos em que Greehey esteve no cargo.

32. A. M. Nail da Larsen & Toubro, Índia. O líder do conglomerado industrial obteve uma valorização no valor de 16 mil milhões entre 1999 e 2012.

33. Gareth Davis da Imperital Tobacco. Davis, que ocupou o cargo da tabaqueira entre 1996 e 2010, obteve uma valorização no valor de 27 mil milhões.

34. Mikael Lilius da Fortum, Finlândia. O líder da energética, no cargo entre 2000 e 2009, obteve ganhos no valor de 22 mil milhões.

35. Eric E. Schmidt da Google, Estados Unidos. O líder da tecnológica obteve ganhos de 143 mil milhões desde 2001.

36. Masahiro Sakane da Komatsu, Japão. Entre 2003 e 2007, Sakane obteve uma valorização no valor de 40 mil milhões de dólares.

37. David C. Novak da Yum Brands, Estados Unidos. Novak lidera a empresa de bens de consumo desde 2000, tendo obtido uma valorização bolsista de 31 mil milhões.

38. A.K. Puri da Bharat Heavy Electricals, India. Puri ocupou o cargo de CEO do conglomerado industrial entre 2004-2008, com a empresa a valorizar 30 mil milhões de euros durante este período.

39. Fu Chengyu da CNOOC, Hong Kong. Líder da energética entre 2003 e 2011, Chengyu obteve uma valorização no valor de 83 mil milhões de dólares em bolsa.

40. John Rowe da Aetna, Estados Unidos. A farmacêutica teve uma valorização de 2 mil milhões de dólares entre 2000 e 2006, quando Rowe ocupou o cargo.

41. John W. Thompson da Symantec, Estados Unidos. Thompson liderou a energética entre 1999 e 2009, período em que a Symantece valorizou 21 mil milhões de dólares em bolsa.

42.Pietro Franco Tali da Saipem, Itália. O líder da energética desde 2000 obteve uma valorização de 21 mil milhões de dólares desde 2000.

43. Goerge Paz da Express Scrips, Estados Unidos. Paz lidera a farmacêutica desde 1996, período em que este valorizou 48 mil milhões.

44. Robert L. Tillman da Lowe’s, Estados Unidos. O líder da retalhista entre 1996 e 2005 levou a que esta valorizasse 44 mil milhões durante este período.

45. Oscar González Rocha, Southern Copper, México. Líder da mineira desde 2004, Rocha levou a que esta valorizasse 39 mil milhões de euros.

46. Bart Becht da Reckitt Benckiser, Reino Unido. Entre 1999 e 2011, Becht fez com que a empresa valorizasse 44 mil milhões.

47. David B. Snow, Jr. da Medco Health Solutions, Estados Unidos. A empresa valorizou 33 mil milhões entre 2003 e 2012 durante a liderança de Snow.

48. James D. Taiclet, Jr da American Tower, Estados Unidos. A empresa de telecomunicações valorizou 29 mil milhões em bolsa desde a entrada de Taiclet em 2003.

49.Tomeo Kanbayashi da NTT Data, Japão. O líder da tecnológica esteve no cargo entre 1995 e 1999 quando a empresa valorizou 30 mil milhões.

50. Shafagat Fakhrazovich Takhautdinov da Tafneft, Rússia. Líder da energética desde 1999, Takhautdinov levou a empresa a crescer 14 mil milhões em bolsa.

51. Tim Solso da Cummins, Estados Unidos. Líder do conglomerado industrial entre 2000 e 2011 a empresa valorizou 16 mil milhões.

52. Pablo Isla Álvarez de Tejera, Inditex, Espanha. No cargo desde 2005, Tejera levou a casa-mãe da Zara a ganhar 61 mil milhões desde a sua entrada.

53. Mark C. Pigott da Paccar, Estados Unidos. No cargo desde 1997, Pigott levou o grupo industrial a valorizar 17 mil milhões em bolsa.

54. Frank Chapman da BG Group, Reino Unido. O líder da energética levou a empresa a ganhar 58 mil milhões desde que assumiu o cargo em 2000.

55. Marshall O. Larsen da Goodrich, Estados Unidos. O grupo industrial valorizou 15 mil milhões desde a entrada de Larsen em 2002.

56. Philip G. Cox da International Power, Reino Unido. No cargo desde 2003, a energética já valorizou 33 mil milhões desde então.

57. John C. S. Lau da Husky Energy, Canadá. A energética valorizou 23 mil milhões entre 2000 e 2010, durante o reinado de Lau.

58. Stanley Fink da Man Group, Reino Unido. A financeira cresceu 17 mil milhões entre 2000 e 2007, anos em que Fink foi CEO.

59. A.J Scheepbouwer da Royal KPN, Holanda. Líder da empresa de telecomunicações entre 2001 e 2011, a empresa valorizou 40 mil milhões durante este período.

60. Christopher M. Connor da Sherwin-Williams, Estados Unidos. A retalhista valorizou 16 mil milhões desde que Connor assumiu o cargo em 1999.

61. Benjamin Seinbruch da CSN, Brasil. Desde que assumiu o cargo em 2002 que a Companhia Sideúrgica Nacional valorizou 14 mil milhões em bolsa.

62. William A. Osborn da Northern Trust, Estados Unidos. CEO da financeira entre 1995 e 2008, Osborn levou a empresa a uma valorização de 19 mil milhões de dólares.

63. Miguel Gomes Pereira Sarmiento Gutierrez das Lojas Americanas, Brasil. A retalhista valorizou 9 mil milhões desde 2001, quando Gutierrez ocupou o cargo de CEO.

64. Kong Qingping da China Overseas Land and Investment. A financeira valorizou 11 mil milhões durante o mandato de Qingping, entre 2001 e 2007.

65. Sunil Bharti Mittal da Bharti Airtel Limited. A empres de telecomunicações valorizou 16 mil milhões desde 1995 quando Mittal entrou para o cargo de CEO.

65. Peter Marrone da Yamana Gold, Canadá. No cargo desde 2003, o CEO levou a mineira a valorizar 12 mil milhões.

67. Ronald L. Havner, Jr. da Public Storage, Estados Unidos. A empresa cresceu 24 mil milhões desde que Havner assumiu o cargo em 2002.

68. Sydney Toledano da Christian Dior, França. A empresa de bens de consumo cresceu 31 mil milhões em bolsa desde 1998, ano de entrada de Toledano.

68. Patrick Darold Daniel da Enbrigde, Canadá. Daniel entrou na energética em 2001, e desde então a empresa cresceu 24 mil milhões de euros.

70. João Maurício Giffoni de Castro Neves da Ambev, Brasil. A empresa valorizou 99 mil milhões desde que Giffoni entrou para o cargo em 2009.

71. R. David Yost da AmerisourceBergen, Estados Unidos. Yost foi CEO da farmacêutica entre 1997 e 2011, período em que a empresa cresceu 16 mil milhões.

72. Patrick Thomas da Hermès International, França. O líder da empresa de bens de luxo entrou ara a Hermès em 2003, tendo a empresa valorizado 28 mil milhões desde então.

73. Manfred Wennemer da Continental, Alemanha. A empresa de pneus foi liderada entre 2001 e 2008 por Wennemer que levou à sua capitalização no valor de 14 mil milhões.

74. C. John Wilder da TXU, Estados Unidos. A energética cresceu 33 mil milhões durante o mandato de Wilder entre 2004 e 2007.

75. Pedro Wongtschowski da Ultrapar, Brasil. A empresa valorizou 19 mil milhões desde que o CEO assumiu o cargo em 2007.

76. Kenneth W. Freeman da Quest Diagnostics, Estados Unidos. A farmacêutica valorizou 11 mil milhões durante o mandato de Freeman entre 1996 e 2004.

77. Thomas P. Mac Mahan da Laboratory Corp. of America Holdings, Estados Unidos. Mahan liderou a empresa entre 1997 e 2006, período em que a farmacêutica cresceu 11 mil millhões.

78. Phillip K. R. Pascall da First Quantum Minerals, Canadá. A mineira cresceu 9 mil milhões desde a entrada de Pascall em 1996.

79. Terry Leahy da Tesco, Reino Unido. Leahy liderou a retalhista entre 1997 e 2011, período em que a empresa cresceu 49 mil milhões no mercado.

80. Blake W. Nordstrom da Nordstrom, Estados Unidos. A retalhista cresceu 14 mil milhões desde que Nordstrom assumiu as rédeas no ano 2000.

81. Tim Koogle da Yahoo, Estados Unidos. A tecnológica cresceu 14 mil milhões durante o período em que Koogle ocupou o cargo entre 1995 e 2001.

81. Roy Gardner da Centrica, Reino Unido. A energética cresceu 20 mil milhões durante o período em que Gardner foi CEO entre 1997 e 2006.

8. Wang Dongming da Citic Securities, China. A financeira valorizou 12 mil milhões desde que Dongming assumiu a liderança em 2002.

83. Ming-Kai Tsai da MediaTek, Taiwan. A tecnológica valorizou 15 mil milhões em bolsa desde que Tsai entrou em 1997.

84. Marcelo Awad da Antofagasta, Chile. A mineira valorizou 19 mil milhões durante o mandato de Awad entre 2004 e 2012.

86. Wang Jianzhou da China Mobile, Hong Kong. A empresa de telecomunicações cresceu 189 mil milhões desde que Jianzhou assumiu as rédeas da empresa entre 2004 e 2010.

87. Naveen Jindal da Jindal Steel & Power, ìndia. A empresa cresceu 7 mil milhões desde que Jindal entrou para o cargo de CEO desde 1998.

88. Grant Alfred King da Origin Energy, Austrália. A energética cresceu 8 mil milhões desde que King assumiu o cargo em 2000.

89. V. S. Jain da Steel Authority of India, ìndia. No cargo entre 2002 e 2006, a empresa valorizou 10 mil milhões durante o mandato de Jaim.

90. Matthew K. Rose da Burlington Northern Santa Fe, Estados Unidos. O grupo industrial cresceu 31 mil milhões desde que Rose assumiu o cargo no ano 2000.

91. Merrill A. Miller, Jr. da National Oilwell Varco, Estados Unidos. A energética cresceu 30 mil milhões desde que Miller assumiu o cargo no ano de 2001.

92. Ronald Alvin Brenneman da Petro-Canada, Canadá. A empresa valorizou 21 mil milhões entre os anos de 2000-2009 quando Brenneman assumiu o cargo da petrolífera.

92. Phillippe Varin da Corus, Reino Unido. A siderúrgia valorizou 10 mil milhões durante o mandato de Varin entre 2003 e 2009. Actualmente, a empresa mudou o nome para Tata Steel Europe Limited após ter sido adquirida pelo grupo indiano Tata.

94. Harry Roels da RWE, Alemanha. A energética valorizou 62 mil milhões entre 2003 e 2007, período em que Roels liderou a empresa.

95. Gérard Mestrallet, Suez, França. A energética valorizou 70 mil milhões em bolsa durante o mandato de Mestrallet entre 1995 e 2008.

96. Paul Walsh da Diageo, Reino Unido. A produtora de bebidas alcoólicas cresceu 61 mil milhões desde que walsh assumiu o cargo no ano 2000.

97. John McAdam da Imperial Chemical Industries, Reino Unido. A química cresceu 13 mil milhões durante o mandato de McAdam entre 2003 e 2008.

98. Dong Mingzhu da Gree Electric Appliances, China, A produtora de bens de consumo cresceu 8 mil milhões desde que Mingzhu entrou para o cargo de CEO.

99. John Fredrik Baksaas da Telenor, Noruega. A empresa de telecomunicações cresceu 27 mil milhões desde que Baksaas assumiu o cargo em 2002.

100. Nobuo Katsumata da Marubeni, Japão. O grupo industrial cresceu 14 mil milhões durante a liderança de Katsumata entre 2003 e 2008.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: REUTERS/Brendan McDermid

Principais bancos em Portugal vão continuar a reduzir exposição ao imobiliário

Fotografia: REUTERS/Brendan McDermid

Principais bancos em Portugal vão continuar a reduzir exposição ao imobiliário

SaudiAramco

Petrolífera Aramco consegue maior entrada em bolsa da história

Outros conteúdos GMG
Os 100 melhores CEO deste ano