Jogos de fortuna e azar

Paddy Power Betfair aguarda revisão da lei do jogo online para operar no país

A Paddy Power Betfair tem mais de seis milhões de clientes ativos no mundo. Fotografia: D.R.
A Paddy Power Betfair tem mais de seis milhões de clientes ativos no mundo. Fotografia: D.R.

A Paddy Power Betfair vê oportunidades para entrar no mercado português de jogos online. Para já, tem a tecnológica Blip, onde já investiu 72 milhões

A Paddy Power Betfair, um dos grupos líder mundial em apostas e jogos desportivos online, “está interessada em obter uma licença de jogo em Portugal”. O grupo, que está cotado na London Stock Exchange, marca presença no país através da Blip, empresa de tecnologias de informação adquirida em 2012. A explorar licenças de jogo em 12 países aguarda, agora, pela revisão do regulamento do jogo online, que está a ser levada a cabo pelo Governo português, para confirmar a sua aposta no país.

A Paddy Power Betfair está interessada em explorar licenças de jogo que permitam aos jogadores apostarem entre si, modalidade que em Portugal não está autorizada. O sucesso do grupo no Reino Unido, onde é líder no mercado de apostas, deve-se nomeadamente à permissão desse género de apostas. O Reino Unido e a Irlanda representam perto de 60% da receita total do grupo.

“O desempenho do mercado de jogos de azar online em Portugal mostra que existe uma margem de crescimento, que permitirá a entrada de novos produtos no mercado e uma revisão da tributação em linha com a de outras jurisdições”, defende Hélder Costa, diretor de desenvolvimento da Blip.

Para a Paddy Power Betfair, “ainda há espaço significativo para o mercado crescer, se nos permitirem novos produtos e a revisão da tributação”. E defende: “A nossa experiência em outros mercados diz-nos que a regulação precisa de responder às exigências dos clientes em termos de gama de produtos, de inovação e de estruturas” ou “esses clientes serão perdidos para o mercado não regulamentado”.

O grupo, que contabiliza mais de seis milhões de clientes ativos em todo o mundo, opera com as marcas principais Paddy Power, Betfair, Sportsbet e TVG e secundárias Timeform, Draft e Airton Risk. O seu negócio estende-se também à exploração de 620 lojas de apostas da Paddy Power no Reino Unido e Irlanda. No ano passado, as vendas atingiram 1,7 mil milhões de libras (cerca de 1,9 mil milhões de euros ao câmbio de hoje).

Um braço tecnológico e português
A Blip, empresa fundada por engenheiros portugueses, é hoje um dos braços tecnológicos da Paddy Power Betfair. Como afirma Hélder Costa, “hoje é um reconhecido hub tecnológico a nível mundial”, “uma peça-chave da Paddy Power Betfair ao contribuir para o desenvolvimento dos produtos usados nas operações do grupo a nível europeu”. Desde a aquisição da Blip, a Paddy já investiu 72 milhões de euros em Portugal.

A Blip trabalha unicamente para a casa-mãe e desenvolve software à medida para web e mobile para o mercado das apostas online. Este ano, as vendas e prestações de serviços devem gerar 18,5 milhões de euros, previsão que a concretizar-se significará um crescimento de 7% face a 2017. A empresa, com escritório no Porto, emprega 252 pessoas (96% da área tecnológica) e tem planos para contratar mais 40 a breve trecho.

Segundo Hélder Costa, a Paddy Power Betfair “decidiu que 2019 será um ano em que vários projetos estratégicos terão que ser executados e a Blip terá um papel fundamental para dar vida a esses projetos”.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Miguel Pina Martins, CEO da Science4you.

(Nuno Pinto Fernandes/Global Imagens)

Science4you quer alargar prazo da oferta pública até fevereiro

Fotografia: DR

Trabalhadores dos impostos avançam para a greve

(Carlos Santos/Global Imagens)

Porto de Setúbal: Acordo garante fim da greve às horas extraordinárias

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Paddy Power Betfair aguarda revisão da lei do jogo online para operar no país