Pagamentos de retalho subiram 7,3% em 2018

A maior parte dos pagamentos foram feitas com cartões. O valor global atingiu os 491,5 mil milhões de euros, segundo dados do Banco de Portugal.

Os pagamentos de retalho em Portugal cresceram 7,3% em 2018, tendo sido realizadas operações num valor global de 491,5 mil milhões de euros.

No total, foram registadas 2.735 milhões de operações, a maior parte relativas a operações com cartões, o que corresponde a um aumento de 7,6% face a 2017.

Segundo o Relatório dos Sistemas de Pagamentos do Banco de Portugal, divulgado esta segunda-feira, 98,9% das operações foram efetuadas com instrumentos eletrónicos. Os dados incluem os pagamentos com cheques mas excluem as transações com numerário.

Os cartões representaram 86,6% dos pagamentos de retalho. Foram feitas 2.368 milhões de operações com cartões em Portugal em 2018, no montante global de 125,3 mil milhões de euros. A utilização de cartões teve um aumento de 8,4% em número e 8,9% em valor. Em média, foram realizadas por dia 6,5 milhões de operações com cartões.

As principais operações realizadas com cartões foram as compras e os levantamentos. As transferências com cartões aumentaram 27,7% em número graças ao lançamento do serviço MB Way da SIBS, que permite transferências imediatas entre cartões.

Cada português tem em média dois cartões. O valor médio de pagamento com cartões foi de 53 euros.

Os débitos diretos foram o segundo instrumento de pagamento mais usado em Portugal em 2018, tendo registando um crescimento de 0,5% em número de operações.

O numerário continua a aumentar mas a um nível muito abaixo do crescimento da utilização de cartões. Os dados relativos a utilização de numerário serão divulgados no final de maio. Cerca de 70% das operações no comércio são efetuadas com numerário, segundo dados do Banco de Portugal. Mas nos pagamentos de retalho, o peso do numerário é muito inferior.

As transferências a crédito registaram a maior subida, crescendo 9,0% em quantidade e 12,1% em valor. A tendência é explicada pelo pagamento de salários por parte de empresas e pagamentos com cartões.

Os pagamentos com cheques desceram 12,2% em quantidade e 6,3% em valor. Apesar da descida, ainda foram realizados em média 120 mil pagamentos por dia.

As compras efetuadas online representaram 3,8% do total de compras realizadas com cartões nacionais, uma descida face ao peso de 3,9% que registaram em 2017. Também em valor sofreram uma descida de 5,9% para 5,7%.

Desde que foram lançadas, em setembro de 2018, e o final do ano passado, foram realizadas 7.170 por dia transferências imediatas em Portugal, com um valor médio de 800 euros. A utilização deste instrumento por parte de empresas explica o valor médio elevado.

O valor global de operações atingiu os 267 milhões de euros em dezembro. Mas em janeiro, com a introdução de comissões a este serviço, por parte dos bancos, as transferências imediatas arrefeceram. Em janeiro, o valor caiu para 179,3 milhões de euros, só voltando a recuperar ligeiramente em março, para 210,4 milhões de euros.

Entre 18 de setembro de 2018 e 31 de março de 2019, foram efetuadas 1,2 milhões de transferências imediatas num montante global de 1,2 mil milhões de euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de