Automóvel

Parceria Critical Software/BMW já tem mais de 200 pessoas. Vai duplicar em 2019

bmwpt-145

Critical TechWorks conta com escritórios em Lisboa e Porto. Grupo alemão está em Portugal para uma "relação de longo prazo".

Já há mais de 200 pessoas a trabalhar na Critical TechWorks, a nova empresa criada pela portuguesa Critical Software e BMW para desenvolvimento de novas tecnologias na área do automóvel. A funcionar desde setembro, este projeto divide-se entre Lisboa e Porto e irá duplicar o número de pessoas até ao final de 2019, conforme referiu o grupo automóvel alemão num encontro com jornalistas portugueses realizado esta quinta-feira na Web Summit.

“Estamos totalmente operacionais há dois meses e já temos mais de 200 pessoas a trabalhar nos nossos produtos. Até ao final deste ano, serão 230 pessoas e vamos duplicar para 500 no final de 2019”, adiantou Christoph Grote, vice-presidente do grupo BMW para a área de eletrónica.

O escritório do Porto, onde fica a sede da Critical TechWorks, tem a maioria dos funcionários e está mais focado no desenvolvimento de soluções para o interior do carro. Em Lisboa, as pessoas estão mais focadas em criar soluções para que o carro possa comunicar com o exterior. Mas há uma coisa que une as duas cidades: “não são meras bases de programação e há muito espaço para criar novos produtos”, em áreas como a inteligência artificial, big data, e analítica preditiva. complementou Klaus Straub, vice-presidente do grupo BMW para a área de gestão de informação.

Os dois responsáveis adiantaram ainda que “a grande maioria dos trabalhadores na Critical TechWorks são portugueses”, embora haja também colaboradores de países como Espanha e França.

Christoph Grote explicou ainda que dezenas dos atuais funcionários da Critical TechWorks já estavam a trabalhar para a Critical Software e que acabaram por se juntar a este projeto.

A descoberta de Portugal

Os responsáveis da BMW assumiram que a Web Summit teve um papel importante para que Portugal recebesse este investimento do grupo automóvel alemão.

“Há um ano, dissemos que gostaríamos de construir outro tipo de produtos e apercebemo-nos de que na Alemanha, tornou-se difícil encontrar pessoas para a área de software. Começámos a tentar perceber onde estavam as pessoas qualificadas, com paixão pelo automóvel e Portugal tornou-se num lugar muito interessante, onde as pessoas têm personalidade. Foi há um ano que decidimos avançar para esta parceria”, detalhou o responsável da BMW para a área de eletrónica.

O consórcio Critical TechWorks foi anunciado em junho e é detido em 51% pelo grupo BMW. Os restantes 49% pertencem à Critical Software, a tecnológica de Coimbra liderada por Gonçalo Quadros.

A BMW é um dos três grupos alemães que escolheram Portugal para instalar centros de desenvolvimento tecnológico. Além da marca de Munique, a Daimler também tem o centro Mercedes-Benz.io, apenas em Lisboa; o grupo Volkswagen inaugurou durante a Web Summit o seu centro de desenvolvimento de software, que terá 300 pessoas até ao final de 2020.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Orlando Almeida / Global Imagens)

Arrendatários vão poder realizar obras e pedir o reembolso

TIAGO PETINGA/LUSA

EDP nega ter indicado Manuel Pinho para curso nos EUA

luzes, lâmpadas, iluminação

Fatura da eletricidade baixa em 2019 “para todos”, garante o ministro

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Parceria Critical Software/BMW já tem mais de 200 pessoas. Vai duplicar em 2019