Automóvel

Parceria Critical Software/BMW já tem mais de 200 pessoas. Vai duplicar em 2019

bmwpt-145

Critical TechWorks conta com escritórios em Lisboa e Porto. Grupo alemão está em Portugal para uma "relação de longo prazo".

Já há mais de 200 pessoas a trabalhar na Critical TechWorks, a nova empresa criada pela portuguesa Critical Software e BMW para desenvolvimento de novas tecnologias na área do automóvel. A funcionar desde setembro, este projeto divide-se entre Lisboa e Porto e irá duplicar o número de pessoas até ao final de 2019, conforme referiu o grupo automóvel alemão num encontro com jornalistas portugueses realizado esta quinta-feira na Web Summit.

“Estamos totalmente operacionais há dois meses e já temos mais de 200 pessoas a trabalhar nos nossos produtos. Até ao final deste ano, serão 230 pessoas e vamos duplicar para 500 no final de 2019”, adiantou Christoph Grote, vice-presidente do grupo BMW para a área de eletrónica.

O escritório do Porto, onde fica a sede da Critical TechWorks, tem a maioria dos funcionários e está mais focado no desenvolvimento de soluções para o interior do carro. Em Lisboa, as pessoas estão mais focadas em criar soluções para que o carro possa comunicar com o exterior. Mas há uma coisa que une as duas cidades: “não são meras bases de programação e há muito espaço para criar novos produtos”, em áreas como a inteligência artificial, big data, e analítica preditiva. complementou Klaus Straub, vice-presidente do grupo BMW para a área de gestão de informação.

Os dois responsáveis adiantaram ainda que “a grande maioria dos trabalhadores na Critical TechWorks são portugueses”, embora haja também colaboradores de países como Espanha e França.

Christoph Grote explicou ainda que dezenas dos atuais funcionários da Critical TechWorks já estavam a trabalhar para a Critical Software e que acabaram por se juntar a este projeto.

A descoberta de Portugal

Os responsáveis da BMW assumiram que a Web Summit teve um papel importante para que Portugal recebesse este investimento do grupo automóvel alemão.

“Há um ano, dissemos que gostaríamos de construir outro tipo de produtos e apercebemo-nos de que na Alemanha, tornou-se difícil encontrar pessoas para a área de software. Começámos a tentar perceber onde estavam as pessoas qualificadas, com paixão pelo automóvel e Portugal tornou-se num lugar muito interessante, onde as pessoas têm personalidade. Foi há um ano que decidimos avançar para esta parceria”, detalhou o responsável da BMW para a área de eletrónica.

O consórcio Critical TechWorks foi anunciado em junho e é detido em 51% pelo grupo BMW. Os restantes 49% pertencem à Critical Software, a tecnológica de Coimbra liderada por Gonçalo Quadros.

A BMW é um dos três grupos alemães que escolheram Portugal para instalar centros de desenvolvimento tecnológico. Além da marca de Munique, a Daimler também tem o centro Mercedes-Benz.io, apenas em Lisboa; o grupo Volkswagen inaugurou durante a Web Summit o seu centro de desenvolvimento de software, que terá 300 pessoas até ao final de 2020.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Dos blueprints  dos primeiros automóveis, ao topo dos carros elétricos atuais, de elon Musk, em homenagem, a Nikolas Tesla.
Ilustração: VITOR HIGGS

Automóvel. Em 20 anos do euro mudou tudo, menos a carga fiscal e o líder

João Vieira Lopes, presidente da Confederação do Comércio e Serviços.
(Jorge Amaral/Global Imagens)

Vieira Lopes: “Metas do governo são realistas mas é preciso investimento”

A EDP, liderada por António Mexia, vai pagar o maior cheque de dividendos da bolsa nacional.

PSI20. Menos lucros mas o mesmo prémio aos acionistas

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Parceria Critical Software/BMW já tem mais de 200 pessoas. Vai duplicar em 2019