Tecnologia

Paris rejeita desenvolvimento da criptomoeda ‘Libra’ em “solo europeu”

Facebook, Libra, criptomoeda
REUTERS/Dado Ruvic

A criptomoeda Libra é novamente alvo de críticas. O ministro das Finanças francês avisa que não quer o desenvolvimento da moeda em "solo europeu".

O ministro das Finanças francês, Bruno Le Maire, anunciou esta quinta-feira que Paris recusa autorizar o desenvolvimento “em solo europeu” da ‘Libra’, criptomoeda que o Facebook quer lançar em 2020, alegando que “a soberania monetária dos Estados está em jogo”.

“Quero dizer com muita clareza: nestas condições, não podemos autorizar o desenvolvimento da ‘Libra’ em solo europeu”, disse o ministro na abertura de uma conferência da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) sobre os desafios das criptomoedas.

“A soberania monetária dos Estados está em jogo”, assegurou Bruno Le Maire na sua intervenção, não hesitando em considerar “sistémicos” os riscos que poderiam surgir desta “eventual privatização de uma moeda (…) detida por um único ator que tem mais de dois mil milhões de utilizadores no planeta”.

“Qualquer falha no funcionamento desta moeda, na gestão das reservas das mesmas, poderia criar distúrbios financeiros consideráveis”, disse Le Maire, que também teme que a ‘Libra’ substitua a moeda nacional nos Estados onde a moeda é fraca ou está em desvalorização acentuada.

O ministro, que já tinha manifestado publicamente dúvidas sobre o projeto de moeda virtual do Facebook no G7 das Finanças em Chantilly (França), em julho, também expressou temores de que o Libra escape ao controlo dos Estados sobre o financiamento do terrorismo.

“Não vejo por que prestamos tanta atenção há anos para evitar a utilização de uma moeda em lavagem de dinheiro e na luta contra o financiamento do terrorismo e agora uma moeda digital como a ‘Libra’ escaparia a essas obrigações”, afirmou.

Com a criação anunciada, em meados de junho, de uma moeda digital que oferece um método de pagamento alternativo aos canais bancários tradicionais, o Facebook quer apelar a mercados onde os serviços bancários não estejam ainda consolidados.

No entanto, o projeto suscita sérias preocupações tanto a bancos centrais e políticos, como às autoridades reguladoras, particularmente no que diz respeito aos riscos para a estabilidade financeira.

Além da criptomoeda Libra, o Facebook juntou-se também a outros parceiros, criando a Associação Libra, que tem como objetivo o desenvolvimento desta moeda digital. No mês passado, a agência Bloomberg avançava que também a Comissão Europeia estaria a manter esta Associação debaixo de olho. Os responsáveis da Comissão Europeia estarão preocupados com a quantidade de informação que poderá ser gerada a partir da utilização da Libra e da carteira digital e os possíveis usos destes dados, principalmente na área da concorrência.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Alexandre Fonseca, presidente da Altice Portugal (Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Altice sobre compra TVI. “Estado perdeu 200 milhões num ano”

Alexandre Fonseca, presidente da Altice Portugal (Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Altice sobre compra TVI. “Estado perdeu 200 milhões num ano”

Combustíveis

Petróleo sobe em flecha. “Não haverá impacto perturbador nas nossas algibeiras”

Outros conteúdos GMG
Paris rejeita desenvolvimento da criptomoeda ‘Libra’ em “solo europeu”