SINTAP

Passivo de 1,2 mil milhões “é comprar caro”

Germán Efromovich
Germán Efromovich

O valor da proposta final vai ser apresentado hoje mas sobre isso German Efromovich ainda não falou. O presidente do Synergy Group, única empresa a apresentar proposta para comprar a companhia aérea, falou ao Negócios em vésperas da apresentação da proposta de compra para a TAP.

O passivo de 1,2 mil milhões de euros da TAP foi um dos temas da conversa. Efromovich disse que admitir o valor desse passivo “é estar a comprar caro”. “É só fazer as contas quanto é que custa abrir uma companhia na Europa, com ‘céus abertos’ em todo o lugar e fazer o que estamos a fazer na TAP…”.

Efromovich confessa continuar otimista quanto ao sucesso do negócio – tal como já tinha manifestado em Lisboa, em meados de novembro – e diz não saber quanto tempo depois da apresentação da proposta o governo tardará a dar uma resposta. “(…) se vai valer a pena realmente, só posso dizer se tivermos o privilégio de receber sinal verde da Parpública”, disse.

“Vamos apresentar uma proposta que possamos devolver o que o Estado espera, que é desenvolver o ‘hub’, gerar emprego, turismo, renovar a frota.”, afirmou, acrescentando que é imperativo para a TAP comprar mais aviões a médio prazo, uma forma de compensar o não investimento na frota nos últimos dez anos. “O mais importante para a TAP e para o Estado português é ter o conforto que quem está a entrar está disposto a investir. E quando se fala em investir, um A350 custa 120 milhões de dólares.”

O presidente da Synergy assegura que a apresentação da proposta da empresa ao Conselho de Ministros não deverá tardar mais de duas horas e vai ser “coerente com a proposta não vinculativa”. Efromovich admite à jornalista Ana Torres Pereira que os cortes impostos pelo Governo às empresas do sector empresarial prejudicou a TAP e vai conduzir a cortes, ainda que desconheça em que grau. “Mas se calhar até arranjamos forma de compensar”, acrescenta.

Esta semana, German Efromovich obteve a nacionalidade polaca, anunciou a Bloomberg. A revista Brasileira Veja publicou também esta semana uma entrevista ao presidente do grupo Synergy, onde Efromovich afirmava que a TAP é um bom negócio.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Assembleia da República. Fotografia: António Cotrim/Lusa

Gestores elegem medidas para o novo governo

Joana Valadares e a sócia, Teresa Madeira, decidiram avançar em 2015, depois do encerramento da empresa onde trabalhavam há 20 anos. Usaram o Montante Único para conseguir o capital necessário e a Mimobox arrancou em 2016. Já quadruplicaram o volume de negócios. (Foto cedida pelas retratadas)

Desempregados que criam negócios geram mais emprego

Salvador de Mello, CEO do grupo CUF (Artur Machado/Global Imagens)

CUF vai formar alunos médicos de universidade pública

Outros conteúdos GMG
Passivo de 1,2 mil milhões “é comprar caro”