Indústria

Pedra natural ganha centro tecnológico para valer 1% do PIB em 2030

O Edifício Pardal Monteiro, antiga fábrica, em Pêro Pinheiro, Sintra, vai ser reabilitado para acolher o StoneCITI, o Hub de Inteligência e Tecnologia da Indústria da Pedra Natural.
O Edifício Pardal Monteiro, antiga fábrica, em Pêro Pinheiro, Sintra, vai ser reabilitado para acolher o StoneCITI, o Hub de Inteligência e Tecnologia da Indústria da Pedra Natural.

"Cidade da pedra" vai nascer em Pêro Pinheiro, Sintra, na antiga fábrica Pardal Monteiro. StoneCiti terá Investimento de 10 milhões de euros.

A fábrica de pedra Pardal Monteiro, em Pêro Pinheiro, Sintra, vai ganhar uma nova vida nos próximos anos. Este espaço vai ser transformado na StoneCiti, a “cidade da pedra” portuguesa, graças a um investimento superior a 10 milhões de euros e que vai juntar a câmara de Sintra, o Instituto Superior Técnico, a associação Assimagra – que representa os industriais dos mármores, granitos e afins – e vários empresários do setor. O protocolo foi assinado esta sexta-feira no centro cultural Olga Cadaval, em Sintra.

O primeiro passo da StoneCiti será o centro tecnológico. “A pedra natural é um produto que está em linha com a preocupação pela sustentabilidade. Olhamos para este setor com otimismo e com um grande potencial de crescimento. É importante colocarmos inteligência nos nossos produtos”, assinala Miguel Goulão, vice-presidente da Assimagra, em declarações ao Dinheiro Vivo.

Com o nascimento desta cidade e a diversificação dos usos da pedra natural, esta indústria tem a ambição de valer 1% do PIB em 2030 e subir as exportações, dos 400 milhões para 1000 milhões de euros ao longo dos próximos 10 anos. “Estamos a falar na criação de mais de 10 mil postos de trabalho diretos e 35 mil postos de trabalho indiretos”, calcula o dirigente da Assimagra.

Este crescimento do valor da pedra natural será possível, argumenta, Miguel Goulão, com a utilização deste material para outras vertentes. “Os painéis fotovoltaicos conseguem captar calor e são uma fonte de energia. Se a pedra puder armazenar calor, também pode ser uma grande fonte de retenção de calor. Se conseguirmos forrar um edifício com pedra, estamos a juntar a beleza com a produção eficiente de energia”, exemplifica.

O desenvolvimento das novas soluções será feito no centro tecnológico da StoneCiti, onde irá existir uma formação profissional orientada para mestrados e doutoramentos e ainda um espaço dedicado à investigação, a cargo das empresas transformadoras. Também haverá espaço para a requalificação do espaço urbano.

O investimento na antiga fábrica será superior a 10 milhões de euros: mais de sete milhões de euros serão aplicados nas obras; a isto, somam-se 2,5 milhões de euros em equipamentos. Este espaço conta com uma área total de mais de 18 mil metros quadrados, dos quais 5920 correspondem a edifícios industriais. A fábrica foi comprada pela câmara de Sintra por 725 mil euros em fevereiro de 2019.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Lisboa-19/12/2019  - Conferencia de Antonio Mexia ,CEO da EDP. 
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

Chinesa CTG vende 1,8% da EDP

(A-gosto.com/Global Imagens).

PSD indisponível para viabilizar alteração à lei para aeroporto do Montijo

O ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Novo Banco: Estado como acionista só dilui posição do Fundo de Resolução

Pedra natural ganha centro tecnológico para valer 1% do PIB em 2030