transportes

Pedro Marques anuncia arranque de obras no Minho e Beira Alta

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques (C), durante uma visita às obras de melhoria das acessibilidades à estação General Torres, em Vila Nova de Gaia, 11 de junho de 2018.  JOSÉ COELHO/LUSA
O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques (C), durante uma visita às obras de melhoria das acessibilidades à estação General Torres, em Vila Nova de Gaia, 11 de junho de 2018. JOSÉ COELHO/LUSA

Ministro das Infraestruturas anuncia investimento de 80 milhões nestas linhas, em conjunto com trabalhos na sinalização.

As linhas da Beira Alta e do Minho vão entrar em obras ainda em julho. O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, anunciou esta quarta-feira, no Parlamento, o arranque dos trabalhos nos troços Cerdeira-Guarda (linha da Beira Alta), Viana-Valença (linha do Minho) e das intervenções na sinalização em várias linhas um pouco por todo o país. Estes trabalhos vão custar 80 milhões de euros, ao abrigo do programa Ferrovia 2020.

“Na próxima semana iremos acompanhar e lançar obra na Beira Alta, no troço entre Guarda e Cerdeira, que faz parte do Corredor Internacional Norte”, adiantou o ministro no início da audição na comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas. A intervenção nesta linha permite eliminar as restrições de velocidade nesta linha e a “recuperação dos tempos de trajeto dos serviços de passageiros de longo curso”

Leia aqui: Obras nas ferrovias sem impacto este ano

Pedro Marques adiantou ainda que vai arrancar “até ao final do mês”, a segunda empreitada para eletrificar a Linha do Minho, com as obras no troço entre Viana e Valença, que deverão ficar concluídas, segundo o Ferrovia 2020, no primeiro trimestre de 2019. Nesta linha, já está sob intervenção o troço entre Nine e Viana, cuja conclusão só deverá ocorrer ainda este trimestre; inicialmente, este troço deveria estar concluído até ao final de junho.

O ministro falou ainda sobre os trabalhos de instalação e modernização do sistema de sinalização nas linhas de caminhos-de-ferro em vários pontos do país.

O Ferrovia 2020, lançado em 2016, prevê a intervenção e modernização das linhas férreas nacionais, com a construção de mais de 200 quilómetros de novas linhas e a modernização de cerca de 900 quilómetros das linhas já existentes, o que corresponde a mais de um terço (35%) da atual rede ferroviária.

O investimento total previsto é de 2,7 mil milhões de euros no prazo de cinco anos, contando o apoio de financiamento europeu.

(Notícia corrigida às 12h30: Os 80 milhões de investimento não incluem o investimento na Beira Baixa, que já estão em curso desde o primeiro trimestre, ao contrário do que foi escrito na versão original deste texto.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
IMG_0868-min

Agricultura bate recordes no Alentejo. “Mais houvesse, mais se vendia”

Isaltino Morais, presidente da Câmara de Oeiras
Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens

Isaltino Morais “Nos próximos anos, Oeiras vai precisar de 12 500 engenheiros”

Aeroporto do Montijo 2

Portela+? Aquilo que separa os partidos, o Montijo não consegue unir

Outros conteúdos GMG
Pedro Marques anuncia arranque de obras no Minho e Beira Alta