transportes

Pedro Marques: “Temos limitações muito grandes” para compra de comboios

Pedro Marques, Ministro do Planeamento e das Infraestruturas.
(Gerardo Santos / Global Imagens)
Pedro Marques, Ministro do Planeamento e das Infraestruturas. (Gerardo Santos / Global Imagens)

Ministro das Infraestruturas anuncia arranque de trabalhos técnicos para eletrificação da Linha do Alentejo e de Linha do Oeste.

O Orçamento do Estado para 2018 prevê que a CP possa comprar comboios novos pela primeira vez em cerca de duas décadas. Só que ainda não houve a abertura do concurso público internacional, que está prevista para este ano. E o próprio ministro com a tutela da empresa, Pedro Marques, admitiu esta quarta-feira, no Parlamento, as dificuldades neste processo. O governante adiantou também que serão iniciados os trabalhos técnicos para avaliar a eletrificação da Linha do Alentejo e de parte da Linha do Oeste e contratados 50 técnicos para a EMEF, a empresa de manutenção de comboios da CP.

“Reconhecemos que temos limitações muito grandes [para a compra] de material circulante”, assumiu Pedro Marques durante a audição na comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas. O ministro do Planeamento e das Infraestruturas recordou que deverão ser adquiridos comboios híbridos, ou seja, adaptados a vários tipos de tensão elétrica e à bitola (distância entre carris) ibérica e europeia. Com este material, o governante quer que estes comboios possam circular mesmo em Espanha.

Com estas aquisições, “esperamos que a CP se possa preparar para que algum do material circulante. no âmbito das parcerias com a Renfe (congénere espanhola da CP), possa fazer algum serviço do lado espanhol”. O ministro deu mesmo o exemplo do comboio Celta, que liga as cidades de Porto e Vigo, e que conta com tensão elétrica diferente do lado português e do lado espanhol, 25 000 v e 3000 v, respetivamente.

Estes comboios apenas deverão chegar em 2021, ano em que deverão ficar concluídas as obras ao abrigo do plano Ferrovia 2020. “Estamos a trabalhar no lançamento do concurso de material circulante para que possa coincidir com a finalização das obras. Serão entre dois a três anos entre aquisição e a chegada do material circulante”, complementou o secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme W. d’Oliveira Martins.

Leia aqui: Espanhola Talgo mostra comboios todo-o-terreno para tentar convencer CP

O ministro adiantou também que serão iniciados os trabalhos para a eletrificação da Linha do Alentejo até Beja e da restante parte da Linha do Oeste. “O Governo já tomou a decisão de iniciar este ano o projeto técnico de eletrificação da linha do Alentejo até Beja. Vão ser lançados os concursos públicos para a Linha do Alentejo e o resto da linha do Oeste”, anunciou Pedro Marques em resposta às questões do deputado Bruno Dias, PCP.

Pedro Marques afirmou ainda que serão contratados 50 técnicos para os quadros da EMEF. “Esperamos lançar durante o segundo semestre o concurso público para esta contratação”, referiu o governante. Nos últimos meses, a falta de pessoal tem condicionado a manutenção de material ferroviário.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mercados

FMI. Dívida de alto risco faz soar os alarmes

Ministro das Finanças de Angola, Archer Mangueira. Fotografia: Direitos Reservados

Archer Mangueira garante solução para dívida a empresas até final do ano

António Costa, primeiro-ministro, e Mário Centeno, ministro das Finanças, num debate parlamentar sobre o OE2019. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Outras touradas do Orçamento: as medidas mais arriscadas

Outros conteúdos GMG
Pedro Marques: “Temos limitações muito grandes” para compra de comboios