transportes

Pedro Nuno Santos: “A ferrovia não passou a ser um meio de transporte inseguro”

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos.. MIGUEL A.LOPES/LUSA
O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos.. MIGUEL A.LOPES/LUSA

Ministro das Infraestruturas assegura que a rede ferroviária nacional tem sinalização "tecnologicamente avançada".

“A ferrovia não passou a ser um meio de transporte inseguro.” A garantia é do ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, em declarações aos jornalistas a partir da localidade de Matas, concelho de Soure, onde esta tarde um comboio Alfa Pendular descarrilou após embate com um veículo de inspeção de via da IP – Infraestruturas de Portugal. Do acidente resultaram duas vítimas mortais, trabalhadores da IP, que estavam no veículo de inspeção.

“A ferrovia é um dos meios de transporte mais seguros mas existem acidentes. Nesta fase, estamos a tentar procurar as explicações para todos percebermos melhor o que aconteceu”, referiu Pedro Nuno Santos, em declarações citadas pela RTP3.

O ministro garantiu também que aquele troço da linha do Norte é dotado dos mais modernos sistemas de sinalização. “Temos de aprender com o que aconteceu para diminuir ainda mais o risco de incidentes. O Alfa Pendular é uma máquina muito moderna em termos de tecnologia. A sinalização também é muito moderna.”

O acidente com o Alfa Pendular ocorreu pelas 15h35. Além das duas vítimas mortais, há a registar seis feridos graves e 19 feridos ligeiros. Seguiam 212 passageiros a bordo do comboio entre Lisboa e Braga.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Foto: EPA/PATRICK SEEGER

Bruxelas dá luz verde a Banco Português de Fomento

Exemplo de ouro numa loja de câmbio em Klaaswaal, Países Baixos. (EPA/ROBIN VAN LONKHUIJSEN)

Ouro atinge recorde e excede os 2 mil dólares

Centenas de turistas visitam todos os dias os jardins do Palácio de Cristal, no Porto. Fotografia: Leonel de Castro/Global Imagens

FMI: Portugal com perdas acima de 2% do PIB devido à quebra no turismo

Pedro Nuno Santos: “A ferrovia não passou a ser um meio de transporte inseguro”