Peugeot não prevê novo corte na produção de Mangualde

ng3356553

O fim das encomendas para a produção dos modelos Citroen C-Elysée e Peugeot 301, que levou à criação excepcional de um terceiro turno no Centro de Produção de Mangualde do Grupo PSA, vai lançar no desemprego 280 pessoas. O diretor financeiro e de relações institucionais da unidade fabril de Mangualde assegura, no entanto, que a produção se vai manter nos níveis habituais e que vão continuar a produzir cerca de 45 mil veículos por ano, em dois turnos.

Elísio Oliveira adiantou ao “Dinheiro Vivo” que a PSA em Mangualde vai manter os 820 colaboradores que trabalham em dois turnos e que produzem 192 automóveis por dia, dos modelos Peugeot Partner e Citroen Berlingo, e que não haverá reduções nas encomendas deste modelos.

“Os dois modelos estão estabilizados e vamos continuar a trabalhar em dois turnos. O que desapareceu foi um fator extraordinário e não se prevê alterações no restante. Prevê-se que a produção fique estável”.

O terceiro turno que estava em laboração há 16 meses foi criado em abril do ano passado para “aproveitar uma oportunidade transitória que se prendia com o facto de a fábrica da PSA de Vigo ter um volume excecional de encomendas dos modelos Citroen C-Elysée e Peugeot 301”, refere Elísio Oliveira.

O responsável salienta que a unidade de Magualde “decidiu aproveitar esta oportunidade pontual de Vigo transferir parte da produção destes modelos para esta unidade” dando “a oportunidade a pessoas que estavam no desemprego de retornar ao mercado de trabalho”.

Este terceiro turno aumentou a produção da PSA de Mangualde em 25 mil veículos e durante o tempo que funcionou a empresa teve uma produção anual de 54 mil veículos. Quando o turno for desativado, a 25 de julho deste ano, a empresa retomará a produção anual de 45 mil veículos. Segundo Elísio Oliveira, esta unidade tem capacidade para atingir a produção de 60 a 70 mil veículos por ano.

A PSA Peugeot Citroen é o segundo maior fabricante europeu de automóveis e é liderado, desde abril, pelo português Carlos Tavares. Em Portugal, a Autoeuropa, do grupo Volkswagen, é o maior fabricante de automóveis, com produções que atingem os 150 mil veículos por ano.

A produção automóvel em Portugal está a recuperar das quedas dos anos anteriores, tendo registado uma subida de 17,8% nos primeiros quatro meses do ano, atingindo as 60 mil viaturas.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
7. Aeroporto de Londres Heathrow

Oficial. Portugal fora do corredor turístico do Reino Unido

O primeiro-ministro, António Costa (E), ladeado pelo ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira (D), durante o debate parlamentar que antecede a votação do texto final apresentado pela Comissão de Orçamento e Finanças que aprova o Orçamento Suplementar para 2020, na Assembleia da República, em Lisboa, 03 de julho de 2020. O parlamento deverá aprovar hoje, em votação final global, a proposta de orçamento suplementar, que se destina a responder às consequências económicas e sociais provocadas pela pandemia de covid-19. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Aprovado o Orçamento Suplementar apenas com o voto a favor do PS

A deputada do CDS-PP Cecília Meireles durante o debate na especialidade da proposta de Orçamento do Estado para 2020 . (MIGUEL A. LOPES/LUSA)

Deputados mantêm suspensão da devolução de manuais escolares

Peugeot não prevê novo corte na produção de Mangualde