farmacêutica

Nunca houve um negócio assim na indústria farmacêutica. Pfizer finaliza compra da Allergan

Aquele que será o maior negócio de sempre da indústria farmacêutica poderá ser anunciado já na segunda-feira, dia 23

A Pfizer já estará em negociações finais para a adquirir a Allergan, noticia, esta quinta-feira, a Bloomberg. A maior farmacêutica norte-americana está disposta a pagar até 380 dólares (cerca de 356 euros) por ação da Allergan, o que avalia a fabricante de botox em 150 mil milhões de dólares (mais de 140 mil milhões de euros).

Aquele que será o maior negócio de sempre da indústria farmacêutica poderá ser anunciado já na segunda-feira, dia 23, mas um comunicado das Finanças dos EUA, divulgado esta semana, pode atrasar o processo. Segundo a Bloomberg, as autoridades norte-americanas querem travar a fusão para que a Pfizer não mude a sede para a Irlanda.

A Allergan está sedeada em Dublin, na Irlanda, conhecida por celebrar acordos fiscais com multinacionais. Esta é uma das principais razões que motivam a vontade da Pfizer de adquirir a Allergan, já que, assim, também poderia mudar a sua sede para a Irlanda e usufruir destas vantagens fiscais.

Com a fusão, a Pfizer conseguiria, também, impulsionar os resultados. Os analistas consultados pela Reuters antecipam que as receitas da farmacêutica caiam 3,3% este ano, enquanto as receitas da Allergan deverão aumentar 39% este ano.

As Finanças não podem impedir esta fusão, mas podem reduzir os benefícios económicos resultantes da operação. E isso poderá ser um obstáculo à “consumação de uma transação desta natureza”, admitem os analistas do Citigroup. As autoridades norte-americanas deverão anunciar, ainda esta semana, novas medidas relativamente a este tipo de operações.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Angel Gurría, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Andrzej Grygiel

OCDE pede mais proteção da contratação coletiva

Angel Gurría, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Andrzej Grygiel

OCDE pede mais proteção da contratação coletiva

Angel Gurría, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Andrzej Grygiel

OCDE pede mais proteção da contratação coletiva

Outros conteúdos GMG
Nunca houve um negócio assim na indústria farmacêutica. Pfizer finaliza compra da Allergan