fusão

Pfizer vai comprar farmacêutica Anacor

Gigante quer adicionar ao seu portefólio um gel tópico da Anacor que está em testes pelas autoridades do medicamento norte-americanas.

A Pfizer vai avançar com a compra da Anacor Pharmaceuticals num negócio avaliado em 5,2 mil milhões de dólares (4,5 mil milhões de euros).

O objetivo da aquisição é conseguir acesso ao gel experimental da Anacor para tratar eczema, segundo a Reuters. Este medicamento está em avaliação pelas autoridades norte-americanas e acrescentaria mais um ativo para o portefolio da Pfizer de doenças auto-imunes.

Não houve novas composições ou moléculas para medicamentos relacionados com problemas de pele, que afetam até 25 milhões de pessoas só nos Estados Unidos, nos últimos 15 anos.

A Pfizer acredita que o produto da Anacor pode chegar ao exceder vendas de dois mil milhões de dólares, segundo um comunicado conjunto das duas empresas.

A Anacor também tem os direitos do Kerydin, um tratamento tópico para fungos.

Este é um regresso da Pfizer às aquisições, depois de ter desistido de comprar a Allergan, em Abril, por 160 mil milhões de dólares devido a restrições impostas pela regulação a fusões de empresas.

O sector químico e farmacêutico tem conhecido uma série de fusões. A Dow Jones e a DuPont, concorrentes da Bayer e da Monsanto, anunciaram o ano passado uma combinação das operações, numa fusão avaliada em 130 mil milhões de dólares, enquanto a China National Chemical Corp acordou em fevereiro a compra da suíça Syngenta, por 43 mil milhões de dólares. Também a Bayer está a avaliar a compra da Monsanto, avaliada em 35 mil milhões de euros.Pfizer

 

 

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
President of the European Commission Ursula von der Leyen (L) and President of the European Council Charles Michel give a press conference during the second day of a special European Council summit in Brussels on February 21, 2020, held to discuss the next long-term budget of the European Union (EU). (Photo by kenzo tribouillard / AFP)

Conselho Europeu termina em Bruxelas sem acordo

Diretor-geral da fábrica da PSA Mangualde, José Maria Castro, fotografado na linha de montagem. (Fernando Fontes / Global Imagens )

Futuro da PSA Mangualde depende de apoio do Governo a projeto de 18 milhões

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, discursa durante o almoço-debate "Os Desafios da Ferrovia: Infraestrutura, Serviços e Indústria", organizado pelo International Club of Portugal num hotel de Lisboa, 21 de fevereiro de 2020. TIAGO PETINGA/LUSA

Prejuízo da TAP “não foi um desvio qualquer” e já devia ter tido lucro

Pfizer vai comprar farmacêutica Anacor