Distribuição

Pingo Doce abre loja 400 e cria 40 postos de trabalho

regime de gestão por terceiros
regime de gestão por terceiros

O Pingo Doce abriu esta quinta-feira a loja número 400, em Sátão, no Distrito de Viseu.

Construída de raiz, com uma área de venda de 1.000 metros quadrados, a nova loja criou cerca de 40 novos postos de trabalho. Inclui ainda zona de cafetaria e um parque de estacionamento com 104 lugares.

Esta é a 14.ª loja inaugurada em regime de gestão por terceiros, desde que o Pingo Doce apostou neste modelo, em 2013. Um modelo em que os lucros resultantes do negócio são repartidos entre o Pingo Doce e o parceiro, em linha com o investimento de cada um.

Trata-se pois de “um modelo de negócio difere de um franchising, uma vez que os tarceiros não têm que pagar royalties, representando uma mais-valia para quem queira aderir a este projeto”, frisa a marca do grupo Jerónimo Martins.

A loja de Sátão vem reforçar a presença do Pingo Doce na região norte do país, onde já detém mais de 150 espaços comerciais, apostando em localizações de proximidade e conveniência.

“Beneficiando da vasta experiência da cadeia, os clientes da loja de Sátão vão encontrar um sortido de Frescos de elevada qualidade, produtos de marca própria com a melhor relação qualidade-preço e, na secção de take-away, comida pronta com todo o sabor e conveniência”, destaca o Pingo Doce.

A equipa da loja Pingo Doce recebeu mais de 1.300 horas de formação em áreas tão diversas como Procedimentos e Operação de loja, Segurança e Higiene no Trabalho, Higiene e Segurança Alimentar, manipulação de produtos Frescos e Serviço ao Cliente, de forma a garantir os padrões de qualidade a que habituou os seus clientes, nos produtos que comercializa e no serviço que presta.

Tendo assinalado recentemente os seus 35 anos de atividade, o Pingo Doce, que conta com uma rede de 400 lojas distribuídas por Portugal Continental e ilha da Madeira, emprega mais de 27 mil colaboradores.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
exportacoes

ISEG menos confiante na economia

Fátima Fonseca , Secretária de Estado da Administração e Emprego Público.

Leonardo Negrão / Global Imagens

Função Pública: Governo faz acerto para pagar 635 euros este mês

Carlos Costa, governador do Banco de Portugal

“Sem transparência e contas auditadas é difícil confiar” nas empresas

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Pingo Doce abre loja 400 e cria 40 postos de trabalho